Publicado em 17/07/2017 ás 11h44

População reclama: os bancos não respeitam o tempo de espera nas filas

Mesmo com uma lei municipal que obriga os bancos a atender os clientes em um tempo determinado, todos os dias as pessoas são obrigadas a passar horas em filas
Creditos: Foto Ilustrativa Internet

Alexandre Mansinho

Quem precisa ir a uma agência bancária e efetuar alguma rotina “na boca do caixa” já pode contar com horas perdidas em filas. Parte desse desrespeito aos clientes ocorre por descumprimento de uma lei municipal, a Lei Complementar 465/2005 e o Decreto 5.308/2006 – mais conhecida como Lei da Fila. O Jornal Negocião recebeu uma denúncia de um leitor que, após perder mais de 60 minutos dentro da agência, avisou que iria ao Procon reclamar seus direitos.

Como proceder? - Infelizmente, embora seja lei, os bancos só cumprirão se houver engajamento da sociedade – todos aqueles que se sentirem prejudicados por espera excessiva devem, a exemplo do nosso leitor, pedir que a senha de atendimento seja autenticada por um funcionário do banco, onde constará o horário de entrada e, escrito à mão pelo próprio funcionário, o horário de atendimento. De posse desse documento, o cliente deve se dirigir ao PROCON e formalizar sua denúncia.

O que diz a Lei? - A Lei da Fila Lei Complementar 465/2005 e o Decreto 5.308/2006, informam que o tempo tolerado de espera nas filas é de 15 minutos em dias normais e de 30 minutos em: Véspera e Após Feriados prolongados, dia de Pagamentos de Servidores Públicos de qualquer esfera de Governo e de Recolhimento de tributos e Encargos Sociais.

  • CENTRO

    R$ 700
  • FOX 15

    R$ 40.800
  • BEBÊ CONFORTO

    R$ 80
  • CALOPSITAS

    R$ 100
  • STOS DUMONT

    R$ 450
  • TOYOTA 12

    R$ 45.000
  • BERNARDINO CAMPOS

    R$ 180.000
  • TRITURADOR

    R$ 1.100
  • VILLE DE FRANCE

    R$ 130.000
  • VISTA ALEGRE

    R$ 145.000

Renovação de anúncios classificados gratuitos.

Até quarta-feira às 18:00h.

Fechamento de edição para novos classificados.

Até quarta-feira às 12:00h.

Fone (14) 3324-1600

R. Antônio Carlos Mori, 504 - Centro,
Ourinhos - SP, 19900-081