MAX. º MIM. º
TEMPO:

Jovens estão mais propensos para o surgimento de doença cardiovascular

Infarto agudo do miocárdio é a doença mais comum

 

Juliana Neves

Atualmente, a incidência de doenças cardiovasculares têm se acentuado na população de modo geral e, principalmente, nos jovens. As causas mais recorrentes são a falta de cuidados com a alimentação, sedentarismo, descuido com os exames de rotina, além da genética que também colabora com esses casos.

“Hábitos errados são os principais motivos para o surgimento de doenças cardiovasculares. Tabagismo, falta de exercício físico, falta de reeducação alimentar e, até mesmo, outras doenças, como o diabetes e hipertensão”, conta o médico cardiologista e especialista em cirurgia cardiovascular Kanim Kalil Kassab.

O problema mais comum é a doença da coronária, que é o infarto agudo do miocárdio. O Brasil já registrou em um ano 300mil mortes por infarto. “Falta prevenção que é o melhor tratamento. A maioria das pessoas têm história familiar e não acreditam que a doença possa atingí-los. Hoje em dia cada vez mais jovens estão sofrendo do infarto no miocárdio, que antigamente, era reconhecida como doença de idoso, mas o cenário foi modificado’, explica o cardiologista.

Representação de dor no peito, o principal sintoma da doença coronária (Fonte: internet-ilustrativo).

Em questão de sintomas, não há diferença para o homem e mulher e o principal é a dor e desconforto no peito, que pode irradiar para o braço esquerdo. Mas muitas pessoas têm a doença coronária e não sentem nada, são assintomáticos, não apresentando sintomas. Por isso, a existência de morte súbita.

A doença da coronária pode aparecer de um ano para o outro, por isso, é importante a realização dos exames de rotina. “A mulher tem uma relativa vantagem em relação ao homem, enquanto ela não está na menopausa, porque o hormônio dela protege o coração. Depois da menopausa, é de igual para igual com o homem”, afirma Kalil.

Segundo o especialista, ultimamente os hábitos das mulheres estão mudando, elas estão se comportando como os homens no sentido de trabalhar a mesma carga horária que eles. O nível de estresse é o mesmo, sendo que algumas fumam igual ou mais que os homens. Por isso, a incidência de infarto nas mulheres só está aumentando a cada dia.

O infarto pode levar à morte, caso o socorro demore a chegar. “30% dos infartados morrem antes de chegar ao hospital, ou seja, são vítimas de morte súbita. Os que conseguem chegar vivos devem ser atendidos dentro de seis horas. É necessário um atendimento rápido e preciso, porque até seis horas após o infarto, os músculos do coração ainda estarão vivos”, sintetiza o cardiologista.

Cardiologista Kanim Kalil Kassab.

CATETERISMO – Em um atendimento rápido, como é em Ourinhos, via Sistema Único de Saúde (SUS), de acordo com o médico Kalil, éfeito um cateterismo, procedimento para detectar qual é a artéria que está causando o infarto, ou seja, a artéria que está entupida. Utiliza-se de anestesia e um cateter é usado para se chegar até a coronária, realizando imagens da mesma, desta maneira, localizando o problema.

ANGIOPLASTIA – Após efetuado o mapa relativo ao infarto, é realizado outro procedimento, a angioplastia, para dilatar a artéria que está na totalidade ou quase entupida e se colocar um aparelho, em forma de uma mola, chamado stent, que mantém o local onde estava dilatado aberto. O fluxo sanguíneo volta para a sua normalidade.

EXAMES DE ROTINA – O cardiologista recomenda fazer, anualmente, o exame de esteira, ecocardiograma, monitorização ambulatorial da pressão arterial (M.A.P.A) e holter para detectar problemas de arritmia. Afinal, muitas vezes, acima de 50 anos, a doença de coronária pode se apresentar por meio de arritmia e não mais dores intensas no peito.

DIABETES – É uma doença que lesa o organismo inteiro. “O diabetes facilita o acúmulo de gordura em todo o organismo. Então, é comum o diabético precisar amputar algum membro do seu corpo, porque ele pode machucar alguma parte do seu corpo e com a ferida infectada o antibiótico não chega até o local, pois onde está infectado tem uma obstrução arterial. Ou seja, o diabetes é uma doença facilitadora para o surgimento de doença cardiovascular e levar o paciente para a morte”, fala Kalil.

Exame de medição da glicose no sangue (Fonte: Internet-ilustrativo).

PRESSÃO ARTERIAL – A alteração da pressão da coronária, como consequência, ajuda lesar a camada chamada endotélio, aí produz uma placa de gordura que causa o infarto agudo do miocárdio.

A prevenção é “o melhor medicamento que temos, por isso, é recomendado atividade física, alimentação saudável e fazer exames antes de sentir algum sintoma, pois quanto antes o diagnóstico, mais fácil o tratamento”, finaliza o cardiologista.

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.