quinta, 05 de dezembro de 2019

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Kangoo Jump: o esporte que reduz o impacto

Aulas de danças aeróbicas estão se popularizando em Ourinhos

 

Juliana Neves

A National Aeronautics and Space Administration (NASA), depois de realizar observações, análises e pesquisas sobre o envio de astronautas para o espaço, confirmou a capacidade do corpo do ser humano em adaptar-se às mudanças na gravidade com muita facilidade e rapidez. Estas pesquisas mostram que 5% da massa muscular pode desaparecer por semana e uma porcentagem maior quando se fala em perda óssea.

Com estas informações que foi criado o sistema Impact Protection System (IPS – Sistema de Proteção contra o Impacto) que permite o exercício de rebote combinar as forças da gravidade, a aceleração e desaceleração, fazendo com que todas as células do corpo sejam fortalecidas e, consequentemente, retarda o envelhecimento impedindo a atrofia muscular e o aumento da densidade óssea.

A partir do IPS que foi criada a atividade física Kangoo Jump de origem suíça após 15 anos de pesquisa e desenvolvimento, para ser a oposição dos esportes que contam com o excesso de impacto e pressão sobre as articulações resultando em lesões nos esportistas.

Então, é um esporte que se usa uma “bota que tem mola que é de onde vem os benefícios desta prática de atividade física, porque reduz 80% do impacto, proporcionando um amortecimento em relação à superfície”, explica Débora Freitag, educadora física e professora de Kangoo Jump em Ourinhos.

As botas de Kangoo Jump.

Segundo a professora ele é um exercício indicado, principalmente, para as pessoas com histórico de problemas na coluna, no joelho, articulações – artrose, quem tem osteoporose e pode ser praticado por diferentes faixas etárias (6 ao 80), mas é exceção para gestantes e pessoas com labirintite não tratada.

Em relação ao peso, é indicado para as pessoas de 55 quilos até 99 quilos, mas há botas para serem adaptadas e utilizadas para mais de 100 quilos. Para as crianças, é um exercício para aumentar a coordenação motora, equilíbrio e concentração de uma forma saudável e divertida, garantindo um resultado de bom alinhamento postural.

O idoso também podem usufruir do calçado especial sem se preocupar com dores futuras, além de que utilizar o Kangoo Jump em um tratamento de fisioterapia pode diminuir consideravelmente o tempo de reabilitação física, recuperando os movimentos normais sem sacrifício e fortalecendo os músculos e tendões.

Em Ourinhos, as aulas de Kangoo Jump se iniciaram há oito meses com os ensinamentos da professora Débora Freitag que ministra as aulas em sua própria residência com um estúdio improvisado, e já está estudando a mudança de localização para o estúdio maior devido à grande procura pelas aulas.

Débora Freitag, educadora física e professora de Kangoo Jump.

Ela é quem fornece as botas para as alunas, sendo um total de sete pares com dois tipos de modelos, permitindo um público de mais de 100 quilos praticar a atividade física, calçando entre 44 a 49, e quem quiser ter a sua própria bota pode levar para as aulas.

“As aulas são dinâmicas começando com uma parte aeróbica que é entorno de 40 minutos de dança com a bota, mas eu não foco tanto em coreografias e, sim, em movimentos de ginástica localizada. Ao término da dança, que são passos fáceis e leves, partimos para a parte da força usando a própria bota. Até porque, um detalhe importante da bota, cada uma tem, aproximadamente, um quilo e 800 em cada bota, literalmente dois quilos em cada pé. Então, a aula tem a divisão de começar sendo aeróbica e depois dez minutos de treino de força”, explica Débora.

Débora e algumas alunas (Fonte: arquivo pessoal).

Além das aulas de dança, é possível realizar corridas com as botas de Kangoo Jump, que a professora organiza de ser na Praça dos Burgueses ou no lago da FAPI. “A corrida é maravilhosa, porque você vai muito além do correr apenas de tênis, justamente pelo benefício da mola de não ter impacto, você cansa menos e corre muito mais, sem contar que não agride os joelhos e tornozelos. É diferente de correr de tênis, porque no dia seguinte você não sente dores dos pós exercícios. A bota trabalha o seu corpo, proporciona benefícios e não proporciona o desgaste”, fala a professora.

Corrida na FAPI (Fonte: arquivo pessoal).

Então, os principais benefícios são proteger as articulações, contribui na reabilitação do pós cirúrgico, queima 800 calorias em 45 minutos, auxilia no emagrecimento, realiza drenagem linfática natural, elimina celulite, corrige postura e pisada, tonifica a musculatura, melhora o sistema cardiovascular e o cardiorrespiratório.

 

Feedback

 Até o momento, o retorno sobre a prática de Kangoo Jump pelas alunas para a professora tem sido positivo e gratificante. “A gente acaba se emocionando. Tem um caso, de uma das primeiras alunas que eu não esqueço porque ela tem um problema muito sério de coluna, ela travava muito e na aula experimental estava com muito medo, depois de duas semanas ela voltou e nunca mais travou da coluna”, emocionada fala Débora.

Outros casos, são de pessoas que começaram a praticar o Kangoo Jump com o objetivo de emagrecimento e já conseguirem perder mais de cinco quilos. Então, para a professora ao ver as aulas atingirem seus objetivos é uma alegria imensa.

Alunas em corrida na Praça dos Burgueses (Foto: arquivo pessoal).

“Outra aluna chegou até mim, para acertar a mensalidade, colocou a mão no meu ombro e me disse que aquele era o dinheiro mais bem pago da vida dela e que eu não tinha a noção de como as aulas fazem bem para ela. Então, as pessoas estão gostando e as metas estão sendo alcançadas, tanto as delas como as minhas”, finaliza Débora.

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.