quarta, 13 de novembro de 2019

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Outubro Rosa Pet – Você sabia que animais de estimação também estão propensos ao câncer de mama?

 Ainda que bastante dolorosa a única solução é a cirúrgica

 

Juliana Neves

A campanha do Outubro Rosa também é válida para os animais de estimação, pois eles podem sofrer com o surgimento do câncer de mama. Normalmente, nos pets a origem da doença é causada por uma questão hormonal, genética e por falta de prevenção.

A doença é detectada, geralmente, pela aparição de nódulos na cadeia mamária de uma fêmea ou macho, assim como acontece nos humanos.

“Os principais sintomas são febre, perca de apetite, desânimo, situação que o animalzinho fica angustiado em seu local de descanso e, muitas vezes, está sentindo dor. Realizando exames clínicos e físicos é possível realizar uma investigação profunda para descobrir se o animal está com a doença ou não”, explica o veterinário Otávio dos Santos.

Veterinário Otávio dos Santos

O profissional ainda ressalta que mesmo que o nódulo seja benigno a única solução é a cirurgia, para não haver risco da doença se agravar por alguma razão futura.

A prevenção, de acordo com Santos, é a castração do animal, que deve acontecer antes do primeiro cio ou um pouco antes de entrar na fase da puberdade. Porém, ainda não é uma prevenção 100% garantida, mas é a mais indicada, pois o risco do surgimento do câncer de mama é muito grande e os prejuízos para a saúde do animal são dolorosos. “Após o aparecimento da doença, dependendo do grau, pode precisar de um tratamento cirúrgico cruel que dói e judia do animal”.

VACINAS CONTRA O CIO – A aplicação da vacina contra o cio, que age como um bloqueio do processo natural do corpo das fêmeas, é contra indicada por aumentar as chances do surgimento do câncer. Esta injeção tem uma carga hormonal em exagero.

CIRURGIA – O procedimento cirúrgico recebe o nome de mastectomia unilateral, quando se opera uma cadeia mamária por vez, ou bilateral, ocasião em que são retirados nódulos das duas cadeias mamárias em um único procedimento.

Dependendo da quantidade de sobras de peles do corpo do animal para a realização dos pontos pós cirúrgico, é necessário optar pela cirurgia unilateral. Porém, é necessário aguardar a cicatrização da primeira fase, e neste tempo de espera entre os procedimentos pode surgir mais nódulos e aumentar o tamanho deles.

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.