MAX. º MIM. º
TEMPO:

Conheça Yasmin Santos a cantora que vai agitar a terceira noite da FAPI

Nascida no Guarujá, litoral paulista, em 1º de outubro de 1998, Yasmin Santos tem 20 anos e começou a carreira tocando em bares da sua região. Com a aceitação, passou a abrir shows maiores, como os de Henrique & Juliano, Simone & Simaria e Raça Negra.

Dona de uma voz tão poderosa que já é comparada a Marília MendonçaYasmin Santos tem um hit sertanejo para chamar de seu. Sendo considerada pela Deezer uma das novas promessas do universo sertanejo, em junho de 2018, lançou seu primeiro single, “Saudade Nivel Hard”, música que ficou entre as 10 mais tocadas das rádios streamings musicais.

Em julho, agosto e setembro, a cantora lançou 3 EPS com 3 faixas inéditas cada intitulado Yasmin Santos, EP1, EP2 e EP3. Em outubro, lançou o single “Pronta Para Trair”, mais uma música de sucesso, que ficou no Top 5 no ranking das músicas mais executadas das rádios e streamings de música do país.

Em março de 2019, assinou contrato com a gravadora Sony Music e lançou o álbum com 10 faixas inéditas denominado Yasmin Santos – Esquenta do DVD.

Em 17 de abril, recebeu do presidente da sua gravadora, Paulo Junqueira, uma placa comemorativa pelas 172 milhões de streamings e downloads. Além disso, também recebeu placa de platina dupla pelo single “Saudade Nivel Hard” e placa de ouro pelo single “Pronta Para Trair”.

No mesmo dia, gravou seu primeiro DVD da carreira, intitulado Yasmin Santos – Ao Vivo em São Paulo, que contou com a participação da cantora Marília Mendonça, dos cantores Wesley Safadão, Gustavo Mioto e da dupla Maiara & Maraisa.

A artista compõe músicas desde os 15 anos e conta nas redes sociais que sua primeira música foi feita no susto quando estava numa casa de praia e não tinha papel, então acabou escrevendo a primeira música num papel higiênico com MC Fininho.

Quando resolvi começar a “sofrer” no meio musical, eu já trabalhava. Comecei com 14 anos, como garçonete, depois fui bandejinha (quem serve em quiosques do Guarujá), babá… Corria atrás para ajudar em casa. A música era incerta. Mais tarde, passei para os cursos de Relações Públicas e Psicologia, e tive a compreensão dos meus pais ao dizer que queria cantar”.

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.