MAX. º MIM. º
TEMPO:

Dia das crianças eleva movimento em lojas do comércio em até 90%

Paola Belinasi

A chegada de mais uma data comemorativa para o comércio geral já tem refletido expressivamente no fluxo de clientes nas lojas segmentadas de Ourinhos. Lojas de crianças já registram um aumento no movimento de até 90%. Os dois últimos dias são os que registram maior número de pessoas a procura de presentes para a criançada. Mães, pais, tios, primos e amigos gastam em média R$ 200 com itens.

A proprietária de uma loja de utilidades e brinquedos, Alyne Leite, diz que o fluxo aumenta consideravelmente nesta semana que antecede o dia das crianças e que movimento chega a ser 90% maior. “As pessoas já são mais acostumadas a comprar presentes de última hora, então nos últimos dois dias temos um grande fluxo de pessoas na loja a procura por brinquedos para presentear parentes e amigos”, conta.

Segundo ela, dois meses antes da data, a loja se prepara com abastecimento de produtos que ultrapassam a marca de 5 mil brinquedos variados, que podem ser encontrados de vários valores, para várias idades e para meninos e meninas. Alyne comenta que a venda nesta época é tão boa que muitas vezes supera até as vendas de natal.

O frentista Maikon Lucio Miliori, 27, e Jenifer Fernanda Miranda de Oliveira, 21, foram às compras nesta quarta-feira (8). Eles estão a procura de brinquedos para parentes. A média de gasto é de R$ 200. Para ele, os preços estão razoáveis. “Não estão caros, mas não estão baratos. São brinquedos. A criança geralmente já escolhe o que quer e a gente busca o melhor preço para não sair em desvantagem”, fala.

A manicure Marcia Correa, 43, conta que a filha Isabela, 9, pediu uma roupa do grupo “Rebeldes”. A pesquisa de preço começou com dois meses de antecedência e o melhor preço que encontrou foi R$ 70. “Para mim, sempre é caro. Acho que a gente tem que pesquisar bastante, porque se deixa de última hora, a gente paga caro e não acha nem exatamente o que queria. Pesquisei e encontrei do jeito que ela queria e que cabia no bolso”, termina. 

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.