tera, 21 de janeiro de 2020

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Em coletiva, delegado afirma que toda a polícia trabalha no caso Emanuelle

Toda a polícia, militar, civil, SICOE de Marília e inclusive o Helicóptero Águia da Polícia Militar se empenham nas investigações

 

Marcília Estefani

 

Em coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira, 13, após três dias do desaparecimento na menina Emanuelle Pestana de Castro, de 8 anos, moradora de Chavantes, o delegado Dr. Antonio José Fernandes Vieira afirmou que ainda não se tem nada de concreto sobre as investigações e que nenhuma situação pode ser descartada.

Segundo o delegado, a esperança é de encontrar a criança ainda viva, porém, há a possibilidade de um sequestro, ou mesmo de morte.

Já foi feito trabalho de busca com auxílio do canil, muitas informações chegaram, foram checadas, a própria população tem ajudado nas buscas, os voluntários da cidade de Marília, a Polícia Civil fez um levantamento prévio do circuito fechado de câmeras da região e uma ampliação deste levantamento está sendo feita para juntar o maior número de imagens e traçar o cenário dos últimos momentos em que a Emanuelle foi vista e tentar compreender o que ocorreu. Foram entrevistadas inúmeras pessoas, crianças que tiveram contato com a menina, mas até o momento não temos uma linha de investigação clara, não podemos descartar nenhuma hipótese, mas ainda não temos nenhuma suspeita principal do que tenha ocorrido”.

O ex-amásio da mãe de Emanuelle também foi ouvido, mas até o momento ele não é tido como suspeito, conforme afirmação do delegado.

Ainda segundo Dr antônio, equipes de investigadores da Dig, DISE, e da própria Seccional estão em Chavantes e juntamente com equipes de SICOE (Sistema Integrado de Comando e Operações em Emergência) de Marília/SP, fazem buscas nos canaviais nas imediações da cidade.

O Helicóptero Águia da Polícia Militar também está na cidade de Chavantes e sobrevoa o local para um maior levantamento de áreas de difícil acesso.

O delegado informou ainda que a partir de hoje todas as investigações estarão concentradas na Delegacia de Polícia de Chavantes, sob o comando do Dr Gabriel Ulisses Salomão, mas toda a polícia de Ourinhos está auxiliando nas buscas e investigações, por ser um caso complexo que exige colaboração de todos.

Qualquer tipo de informação que auxilie no caso pode ser feita através do 190 (Polícia Militar ou 197 (Polícia Civil).

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.