sbado, 07 de dezembro de 2019

MAX. º MIM. º
TEMPO:

Saiba qual é o período de reprodução dos peixes e época de proibição de pesca

Segundo comerciante, pescadores profissionais não respeitam o período proibido para pesca

Juliana Neves

Na última sexta-feira, 1º, iniciou-se a fase de piracema nos rios do estado de São Paulo que vai até o dia 28 de fevereiro. É a época de reprodução do peixes, por isso, há a proibição de pescaria durante neste período, seja a pesca profissional como a esportiva.

Everton de Lima, pescador e proprietário de uma loja de pesca, explica que “o Governo todo ano estabelece a época de piracema que é o período de desova dos peixes. Desta maneira, eles sobem até o limite do rio, que aqui no nosso caso são até as comportas (controle de escoamento da água). A Polícia Ambiental fiscaliza para que não haja nenhuma pescaria, por causa da reprodução. Mas há alguns peixes que podem ser capturados nesta época, que é o Tucunaré, Corvina e Tilápia, somente estes”,

O pescador também afirmou que quem pesca Tucanaré em Ourinhos e região, pratica a pesca esportiva. Há pessoas que buscam por outros peixes em nossa região, como a Corvina, Mandi e Pacu, pois “Ourinhos é uma cidade escassa de peixe e tem muito pescador profissional ou não que faz pesca predatória com redes e acabam matando muitos animais desnecessariamente de uma forma agressiva”, assegura.

FALTA DE RESPEITO – Everton afirmou que a população da nossa região não respeita o período da piracema, principalmente, os pescadores profissionais e aqueles que utilizam da rede para pescaria. “É a época em que eles mais pescam, porque os peixes estão todos concentrados em um único lugar. Ao mesmo tempo, praticam algo ilegal e acabam criando um bloqueio da reprodução dos peixes. Consequentemente, após a época da Piracema a quantidade dos peixes estará menor, pois eles foram impedidos de se reproduzir”, sintetiza Everton.

POLÍCIA AMBIENTAL – Em nota para a imprensa a Polícia Ambiental explicou quais são as proibições e permissões da pescaria para a nossa região. Além de afirmarem que estão fazendo uma operação de fiscalização nos rios da região.

Portanto, é proibido pescar em lagoas marginais, a menos de 500 m de confluências e desembocaduras de rios, lagoas, canais e tubulações de esgoto, até 1.500 m a montante e a jusante das barragens de reservatórios de empreendimento hidrelétrico e de mecanismos de transposição de peixes e até 1.500 m a montante e a jusante das barragens de reservatórios de empreendimento hidrelétrico.

OUTRAS PROIBIÇÕES – É proibido a pescaria de espécies nativas, uso de materiais perfurantes, utilização de animais vivos como isca e qualquer objeto flutuante nos rios da bacia.

PERMISSÕES – É permitida a pescaria em rios da Bacia com uso de iscas naturais e/ou artificiais na modalidade desembarcada (sem transporte) com utilização de linha de mão, pesca embarcada (com embarcação) somente em lagos das Usinas Hidrelétricas, somente o transporte de peixes não nativos e híbridos para pescadores esportivos e profissionais, pesca desembarcada e embarcada em reservatórios de espécies não nativas e hibridas com uso de linha de mão ou vara, caniço simples, com molinete ou carretilha, com uso de iscas naturais e artificiais e o transporte de pescado ou material de pesca por via fluvial somente em locais cuja pesca embarcada seja permitida.

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.