sbado, 14 de dezembro de 2019

MAX. º MIM. º
TEMPO:

O primeiro cinema regional

Inaugurado em Ourinhos a primeira sala de cinema estruturada para cidades pequenas

 

Juliana Neves

 

Em uma quarta-feira, 07 de agosto, foi inaugurado no interior do Ourinhos Plaza Shopping, as salas de cinema da Cinépolis, em um evento estruturado para receber alguns convidados e a imprensa local.

As pessoas eram recepcionadas com taças de champagne, um fotógrafo capturando os melhores ângulos da inauguração e eram servidos nachos, cachorro-quente, pipoca doce e salgada e bebida à vontade.

Em instantes, o hall de entrada foi tomado por uma multidão que se formou por um único motivo: a ansiedade em conhecer o cinema, como seria a estrutura das salas, a programação, quantas pessoas são suportadas em cada sessões, quais as vantagens para deficientes e tantas outras curiosidades.

O hall de entrada do Cinépolis Ourinhos.

Antes do momento da inauguração oficial, o presidente da rede Cinépolis Brasil, Luiz Gonzaga de Luca, conversou com os jornalistas da cidade. A entrevista cedida para o Jornal Negocião foi sobre a expectativa da abertura de mais algumas salas de cinema da rede, o que se espera economicamente na cidade por ser uma novidade atrativa regionalmente e o segredo da Cinépolis ser um sucesso mundialmente.

Este é o 56º cinema aberto no Brasil em 10 anos de existência da empresa e também o primeiro cinema de um projeto recente da Cinépolis. Elaborado para a realização da inserção desta cultura cinematográfica em cidades de, aproximadamente, até 300 mil habitantes. “É um projeto de cinema menor para cidades menores. É um grande teste para nós. Para se ter uma ideia, a empresa tem no México mais de 3.500 salas, quase 7 mil, sendo mais de 60 deste porte”, afirma o presidente.

Neste ano, a Cinépolis está inaugurando 300 salas, todas referentes a este projeto para cidades pequenas com o intuito de atingir uma população regional. “E aqui em Ourinhos, acho que seremos bem-sucedidos. Tudo me faz sentir que será sucesso”, diz Gonzaga.

Luiz Gonzaga de Luca, presidente da Cinépolis Brasil.

O projeto foi pensado a partir do dado que 90% do país não possui cinema e para atingir diversas cidades do interior de cada estado é preciso uma modelagem arquitetônica, de operação e funcional, para que a cidade tenha a capacidade de instalar salas de cinema com uma estrutura de alto nível. Segundo o presidente Gonzaga, este teste em Ourinhos poderá ser o caminho a ser seguido para abertura de muitos cinemas no Brasil.

Já na questão econômica, o que se espera são resultados gratificantes a partir da abertura do cinema, sendo reconhecido como referência para a cidade. Até pelo fato da construção de um shopping em Ourinhos chamar a atenção da população de cidades vizinhas. Ou seja, o Cinépolis irá receber pessoas da região e isso faz com que a economia da cidade seja bem mais movimentada regionalmente avaliada.

Fachada do cinema em Ourinhos.

E o segredo do sucesso para a rede Cinépolis é a partir do conceito de não aceitar a estabilidade do mercado cinematográfico. “Nós estamos em Cariacica, interior do Espírito Santo, que é um lugar extremamente pobre e o mais violento do Brasil. Um sucesso absoluto”, extasiado conta o presidente da rede.

Ainda segundo Gonzaga, a empresa quebrou o paradigma de que o cinema é um lazer direcionado para um público de classe social alta. Por isso, é considerado uma ironia para a rede ser reconhecida como uma empresa que trabalha com o luxo, por causa da estrutura construída nas salas.

Desta forma, o presidente esclarece: “somos a empresa que mais tem cinema em regiões populares e, em 10 anos, a maior do Norte e Nordeste. Estamos em Macapá, onde só se chega pelo rio ou aéreo e lá temos um cinema maravilhoso”.

É trabalhoso estar presente desde a região Norte do país até o Sul, mas com muita dedicação aos seus clientes é que, provavelmente, a Cinépolis seja a maior empresa do interior paulista.

Presente em todas as grandes cidades, por exemplo, ainda este ano, irá inaugurar um cinema em São José dos Campos e no ano que vem em Santos. Além de ter mais de uma unidade em alguns lugares do estado de São Paulo, atingindo um público mais vip e o popular ao mesmo tempo.

O local estava decorado com informações sobre os alimentos ofertados pelo cinema.

Para finalizar, o presidente Gonzaga diz que “aqui em Ourinhos, o que estamos testando não é uma questão de qualificação social, é mais uma questão sobre a especificidade da cidade ser menor e, ao mesmo tempo, ter um entorno muito forte. Atendendo mais 200 pessoas de forma regional. E espero que seja bem-sucedido para nós criarmos novas salas.”

Imprensa e convidados reunidos para a inauguração.

O evento se aproximou do fim com um discurso do presidente, perante toda a imprensa e os convidados, em uma das salas do cinema. Com direito a abertura de um tempo determinado para as pessoas perguntarem o que quiserem para Gonzaga. Encerrado o momento de esclarecimento de dúvidas, as pessoas puderem prestigiar o filme “Meu amigo Enzo”.

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.