MAX. º MIM. º
TEMPO:

Problemas de estacionamento voltam a ser discutidos em Ourinhos

Diretores da ACE, AMO-SIM e Polícia Militar se reuniram na última semana

Juliana Neves

Na última semana, a diretoria da Associação Comercial e Empresarial de Ourinhos (ACEO), se reuniu com a Guarda Mirim e a Polícia Militar para tratar sobre a Zona Azul, estacionamento rotativo, falta de uso do cartão de estacionamento pelos motoristas e estacionamento irregular pelos motociclistas.

A problemática já havia sido discutida em reunião na quarta-feira, 28 de agosto, onde alguns compromissos foram assumidos pela diretoria da ACE.

A questão causa preocupação, pois muitas motos e carros que ocupam as vagas no centro da cidade são dos próprios comerciantes e comerciários. Eles acabam ocupando um lugar que poderia ser do seu futuro cliente, como também produz um bloqueio de rotatividade do estacionamento quando não se utiliza da Zona Azul.

ENQUETE DE OPINIÃO POPULAR – Nesta semana, o Jornal Negocião realizou uma enquete na página do Facebook com relação ao tema das motos que não pagam a Zona Azul, e pudemos concluir divergências nas expressões opinativas.
A população opina que desde que pague o cartão é justo a moto estacionar fora dos bolsões, que os motociclistas deveriam ter mais respeito em relação aos carros para não bloquear manobras dos veículos.
Reclamaram sobre os mototaxistas que fazem da vaga um ponto comercial – independente de pagar ou não a Zona Azul. Outros afirmam ainda que param onde querem e pagam o cartão se quiserem.
Por fim, a conclusão da enquete mostra que realmente a cidade precisa de mais áreas de estacionamento, tanto para motos quanto para carros.

POLICIA MILITAR – Segundo o Capitão Viol, comandante do 31º Batalhão de Polícia Militar de Ourinhos, a ACEO os procurou para entender questões sobre o uso correto da Zona Azul pelos motoristas em geral, seja de carro ou moto, e o número disponível de vagas para a comunidade ourinhense utilizar no comércio.

“Eles demonstraram preocupação com algumas áreas destinadas à Zona Azul que, por questões de mobilidade urbana, tiveram os estacionamentos suprimidos pelo setor de trânsito da Prefeitura Municipal. Tem também as questões de irregularidades e infrações cometidas pelos condutores que estacionam na área de Zona Azul e não pagam o cartão. Eles deixam o veículo estacionado o dia todo no local, quando uma vaga deveria ser rotativa e acaba perdendo esta função, o que caracteriza infração de trânsito”, explica o capitão.

Uma campanha será produzida, porém sem data prevista para divulgação, com intuito de conscientizar os condutores e o próprio comércio local. “A campanha tem o objetivo de conscientizar os motoristas, para que respeitem a Zona Azul, paguem o cartão e fiquem o máximo permitido na vaga, para que o estacionamento seja realmente rotativo. Isto vai proporcionar mais facilidade para quem visita o centro da cidade e, consequentemente, gerando mais lucro para os empresários. Toda campanha educativa é bem-vinda, porque uma parte da população acaba cumprindo as orientações transmitidas”, conta o Capitão Viol.

Capitão Viol, comandante do 31º Batalhão de Polícia Militar de Ourinhos.

AMO-SIM – Max Arce, presidente da AMO SIM – Associação Mirim de Ourinhos e Serviço Integrado de Meninas – afirma que a ACEO procurou a Associação para falar sobre as motos que estacionam fora dos bolsões, ocupando vagas de carros e não pagam pela Zona Azul. “Eu tive a informação de que alguns motociclistas pagam o cartão, mas a maioria não. Esta fiscalização é função da polícia, o guardinha não pode obrigar a compra do cartão e a pessoa corre o risco de ser multada”, diz o presidente.
Arce acredita que o problema para vagas de motos pode ser resolvido com a criação de novos bolsões, como por exemplo atrás da praça da Catedral, onde há um espaço grande.
A AMO SIM apresentou como solução na reunião a intenção de aumentar os pontos de vendas do cartão da Zona Azul e a quantidade de guardinhas, pedindo a ajuda da ACEO neste sentido, visto que visto que algumas empresas não querem se comprometer.

CARTÃO DE ADVERTÊNCIA – A AMO SIM possui um outro cartão que simboliza uma advertência cometida pelo motorista, que por algum motivo não utilizou o cartão de Zona Azul. Explica, inclusive, qual é a irregularidade praticada por meio do uso daquele veículo, moto ou carro, e atrás tem uma lista indicando onde são os pontos de vendas do cartão. “É uma supervisão feita diariamente, deixando uma via do papel para o motorista e outra na associação para depois realizar um cadastro em um sistema computacional”, explica Fioravante Neto, o vice-presidente.
“É mais um atrativo para a Polícia Militar, tornando mais fácil a visualização de qual veículo deve ser multado”, fala Francisco Bezerra, diretor financeiro.

ZONA AZUL DIGITAL – A Prefeitura Municipal está analisando o melhor modelo que se adequa a nossa cidade. “Talvez a implantação de uma Guarda Municipal para auxiliar no ato de fiscalizar o trânsito e uma parceria com a nossa Associação, porque os guardinhas irão atuar como orientadores da Zona Azul Digital”, conta o vice-presidente da AMO-SIM, Neto Fioravante.

Da esquerda para a direita: Fioravante Thosi Neto (vice-presidente), Max Jardim Arce (presidente) e                                                    Francisco Bispo Bezerra (diretor financeiro) da AMO-SIM

 

ACEO – Consultada, a ACEO, não quis adiantar informações de uma possível campanha de conscientização que deverá ser lançada em breve.

© 1990 - 2019 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.