terça, 16 de julho de 2024

Anúncio de retomada das cirurgias eletivas traz esperanças à milhares de pessoas que aguardam na fila

Publicado em 28 abr 2018 - 07:58:49

           

Alexandre Mansinho

A Prefeitura de Ourinhos anunciou a criação de um programa estruturado para realizar as mais de 1,5 mil cirurgias eletivas que compõem a fila no município. Contando com cerca de 2,8 milhões de reais, obtidos sobretudo por emendas parlamentares, a Secretaria Municipal de Saúde em parceria com a Santa Casa de Misericórdia de Ourinhos vai coordenar os procedimentos médico-técnicos para a realização dos procedimentos.

CONVOCAÇÕES – Em nota, a prefeitura de Ourinhos informou que os procedimentos cirúrgicos serão realizados por especialidade: as 340 mulheres na espera por uma operação ginecológica já começaram a ser convocadas para exames finais e agendamento da cirurgia e, em seguida, serão atendidas as 349 pessoas que precisam de cirurgia de hérnia. Logo após haverá a escolha de outra especialidade, sempre respeitando princípios médico-técnicos.

CENTRO DE DIAGNÓSTICO – Segundo a secretária de saúde, Cássia Palhas, o atual ambulatório de saúde mental será transformado em uma referência para as consultas pré-operatórias: “todas as consultas com anestesistas, por exemplo, serão centralizadas nesse ambulatório (…) acreditamos que até o final do ano a fila de cirurgias será zerada”.

EXAMES DESATUALIZADOS – em entrevista para o Jornal Negocião, o vereador Alexandre Enfermeiro foi questionado sobre a relação entre o valor divulgado pela prefeitura dos procedimentos cirúrgicos e os valores dos exames que, em grande parte dos casos, deverão ser refeitos, visto que a maioria deles estão desatualizados.

Alexandre respondeu que o valor de 2,8 milhões já inclui a feitura dos exames pré-operatórios: “a maioria dessas cirurgias são de baixa complexidade, os exames que são necessários, também na maioria dos casos, não se enquadram como exames de alto custo, com uma ou outra exceção”.

PARCERIA COM A SANTA CASA – O empresário Celso Zanuto, presidente da Sociedade Santa Casa de Misericórdia, disse ao Jornal Negocião que o culpado do grande número de ourinhenses aguardando cirurgias eletivas é o fator financeiro: “agora, com essa reserva de verba, colocamos todos os custos “na ponta do lápis” e faremos, em parceria com o executivo, ao preço de custo, todas as cirurgias que nos forem solicitadas”.

Celso Zanuto também comentou que a competência da gestão da Santa Casa, tanto técnica quanto administrativa, é a grande responsável por colocar o hospital como referência para a realização desses procedimentos cirúrgicos: “pode haver médicos e funcionários tão competentes quanto os nossos, mas duvido que exista uma equipe, desde os trabalhadores da limpeza, passando por enfermeiros e funcionários administrativos, que seja mais competente que a nossa”.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.