quarta, 17 de julho de 2024

CATI capacita extensionistas das Casas da Agricultura em técnicas de irrigação

Publicado em 07 abr 2015 - 04:03:30

           

Da redação

A Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), órgão vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, promove entre os dias 7 e 9 de abril um módulo de capacitação de seus extensionistas para orientação dos produtores rurais em técnicas de irrigação. O primeiro curso será realizado na CATI Regional Bragança Paulista e tem o objetivo de preparar os técnicos do órgão sobre como avaliar as propriedades do agricultor quanto ao tipo de irrigação que está sendo aplicada. 

“A nossa preocupação é a de poder capacitar o nosso técnico para que ele possa avaliar como o produtor rural vem aplicando a sua irrigação, principalmente em tempos de crise hídrica, quando a necessidade de se trabalhar de forma eficiente e com economia de água é fundamental para evitar maiores transtornos ao próprio produtor rural”, explica José Carlos Rossetti, coordenador da CATI. O coordenador acrescenta ainda que um questionário para ser aplicado em campo já está sendo preparado para que os técnicos façam a análise de equipamentos utilizados pelos produtores. 

A programação será voltada a temas ligados à atualização em sistemas e manejo da irrigação e vai abordar questões como a identificação e caracterização da propriedade, caracterização dos sistemas de irrigação e turno de rega, caracterização da captação da água e do conjunto motobomba, identificação e qualificação de vazamentos, avaliação da vazão e pressão dos emissores no campo, lâmina líquida, bruta e média de irrigação, uniformidade de distribuição de água e eficiência. Os instrutores responsáveis pelo curso são o engenheiro agrônomo e professor titular em Irrigação e Drenagem da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp/Ilha Solteira), Fernando Braz Tangerino Hernandez e o técnico da CATI Regional Botucatu, Júlio Cesar Thoaldo Romeiro.

O curso ocorre ao mesmo tempo em que a CATI abrirá inscrições entre os dias 7 e 17 de abril, aos pequenos produtores interessados em participar do “Programa de Modernização da Irrigação – Uso Racional da Água na Agricultura”. Trata-se de uma oportunidade de financiamento operada pela Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP) e que utiliza recursos do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (Feap). O objetivo é incentivar os agricultores contemplados a modernizarem seus equipamentos de irrigação com a substituição de tecnologias ultrapassadas e estimular a adoção de técnicas que permitam, por meio da otimização dos recursos hídricos, grande diminuição na captação de águas superficiais na bacia do Alto Tietê – de onde se retira água para o seu armazenamento e tratamento na Grande São Paulo. Por conta disso, apenas poderão ser contemplados com a nova linha de crédito os agricultores com propriedades nos municípios de Biritiba Mirim, Mogi das Cruzes, Salesópolis e Suzano, todas pertencentes à CATI Regional Mogi das Cruzes, inseridas no sistema produtor do Alto Tietê. 

Ao todo serão R$ 60 milhões disponibilizados para o Programa, com juros zero e até 6 anos para o pagamento, incluindo um ano de carência – com parcelas anuais, semestrais ou trimestrais -, dos quais R$ 7 milhões desses recursos serão para a subvenção de juros (Feap) e R$ 53 milhões para os financiamentos (Desenvolve SP). O valor máximo a ser tomado por beneficiário será de R$ 240 mil. 

Sobre a CATI – A Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI) é um órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo e está presente em todos os municípios paulistas. Todo o trabalho realizado pelo órgão visa atender o produtor rural. Sua missão é “Promover o desenvolvimento rural sustentável por meio de programas e ações participativas, com envolvimento da comunidade, de entidades parceiras e de todos os segmentos dos negócios agrícolas”.  

Os produtos e serviços estão à disposição dos agricultores e pecuaristas nas 594 Casas da Agricultura, dos 40 Escritórios de Desenvolvimento Rural e dos 21 Núcleos de  Produção de Sementes e Mudas, onde técnicos orientam e proporcionam ações práticas de desenvolvimento do agronegócio, de acordo com a realidade de cada região. 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.