fbpx

domingo, 29 de maio de 2022

Coletores protestam na Câmara e suspendem parcialmente a coleta de lixo

Hernani Corrêa e Marcília Estefani

 

A sessão da última segunda-feira na Câmara Municipal de Ourinhos foi uma das mais tumultuadas dos últimos tempos. Coletores de lixo da SAE – Superintendência de Água e Esgoto – protestaram contra a aprovação do projeto que tira da autarquia o serviço de coleta de lixo e passa a responsabilidade para a prefeitura.

 

AUMENTO DE SALÁRIOS – Um pouco antes, os vereadores aprovaram outro projeto, também de autoria da prefeitura, que concede reajuste de 30% nos vencimentos de Lucas Pocay, ao vice-prefeito, secretários e vereadores. Com o reajuste, Pocay passa de R$ 16.850,00 para quase R$ 22.000,00.

 

RETIRADA DA COLETA DA SAE – Em seguida, os vereadores colocaram em votação o Projeto de Lei que devolve à prefeitura a responsabilidade da coleta do lixo em Ourinhos. E foi aprovado com 9 votos a favor e 5 votos contra.

Votaram contra os vereadores Guilherme Gonçalves, Cícero Investigador, Roberta Stopa, Roberto Tasca e Latinha.

Os coletores se exaltaram, xingaram, ameaçaram agredir os vereadores e a polícia foi obrigada a conter os ânimos.

 

COLETA SUSPENSA – Na terça-feira, os coletores se reuniram em frente a ETA – Estação de Tratamento de Água na Vila Brasil, decidiram paralisar a coleta do lixo da cidade e impediram que os caminhões saíssem do local.

Novamente, a polícia foi acionada, caminhões liberados e os coletores se transferiram para o local chamado de transbordo, no Jardim Santos Dumont, onde ficaram ‘acampados’.

Lixo foi jogado por populares em diversas residências dos vereadores da base do prefeito. Os coletores da SAE trabalharam por 3 dias com apenas 30% do efetivo e coletaram apenas o lixo de postos de saúde e outros estabelecimentos.

 

PEDIDO DE CASSAÇÃO – Na manhã de terça-feira, o munícipe Carlos Miguel Serrano Castello protocolou na Câmara um pedido de cassação do mandato de Lucas Pocay com a alegação de prática de nepotismo tanto na prefeitura quanto na SAE.

Ele já havia aberto uma representação junto ao Ministério Público de São Paulo.

 

LEI SANCIONADA – No Diário Oficial de terça-feira, no final da noite, a prefeitura publicou a Lei sancionada pelo prefeito Lucas Pocay.

 

COLETA PRECÁRIA – Com o objetivo de diminuir o caos na cidade, na quarta-feira a prefeitura recolheu parte do lixo em pick ups e outros veículos, utilizando funcionários que não tem a função, nem preparo para tal.

 

SINDICATO TENTA AGIR – Também na quarta-feira, o Sindicato dos Servidores Municipais protocolou na prefeitura um pedido de reunião urgente para tentar resolver o imbróglio. ‘Biguá’, presidente da entidade, pediu que o prefeito garanta que os coletores não sejam prejudicados com a mudança que foi feita, segundo ele, sem nem ao menos os coletores terem sido consultados.

 

VOLTA TEMPORÁRIA AO TRABALHO – Na manhã de quinta-feira, os coletores voltaram aos trabalhos normalmente, segundo eles, para não prejudicar a população durante as festas de Natal. “Mas vamos paralisar novamente na segunda-feira, ficando somente 30% trabalhando”, garantiram.

 

OUTRO LADO – A reportagem do Negocião vem insistentemente há dias falar com a Assessoria de Comunicação do prefeito Lucas Pocay, por telefone, email e WhatsApp, porém, sem sucesso. Pocay vem se manifestando somente em suas páginas nas redes sociais.

 

 

 

 

 

© 1990 - 2021 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.