sexta, 01 de março de 2024

Coluna Poucas & Boas

MIOU – Um novo projeto reorganizando a estrutura de cargos e carreiras foi enviado à Câmara, mas não deve ter quórum para aprovação. O principal entrave apontado pelos vereadores é o fato da proposta extinguir o período de estágio probatório para os novos aprovados em concurso. Pelo visto a medida pretende beneficiar aliados políticos da Prefeita.

DAQUI NÃO SAIO – Apesar de a prefeitura ter publicado a exoneração de dezenas de ocupantes em cargos em comissão atendendo à determinação do Ministério Público, muitos deles continuam exercendo suas funções como se nada tivesse mudado.

TUDO TEM JEITO – O deputado Federal Capitão Augusto saiu derrotado por sua participação na campanha de Toshio. O deputado apoiou explicitamente Misato e poderá ter dificuldades de se aproximar do novo governo. Mas se todos pensarem na cidade e região antes de qualquer sigla partidária ou grupos políticos, o bom senso deve prevalecer e o namoro deve acontecer em breve.

PENANDO – O final inglório do governo Belkis poderá trazer ainda mais dificuldades para aqueles que utilizam o sistema público de saúde. São vários os motivos: a demissão de cargos, a diminuição de recursos estaduais e federais e o fato dos médicos não cumprirem seus horários, aumentando cada vez mais o número de pacientes na fila.

SALVE-SE QUEM PUDER – Lucas Pocay, prefeito eleito de Ourinhos, vai encontrar uma casa pra lá de bagunçada: entre os ocupantes de cargos comissionados ameaçados de demissão o clima é de “o último que sair apague a luz”.

DISCRIMINAÇÃO – Jardim Itamaraty, Pacheco Chaves e Moradas Ourinhos são bairros abandonados à própria sorte: milhares de moradores são isolados do restante da cidade pelo brilhantismo de algum engenheiro de balcão.

QUEM ESTÁ CERTO? – A Polícia Militar afirma que o número de policiais em Ourinhos é o adequado, mas há quem reclame que o tempo de resposta de atendimento das ocorrências (190) chega a uma hora: adequado isso? Até quando a Central de Atendimento continuará em Bauru, prejudicando toda a população por esta demora no atendimento?

BABADO I – O vereador Edvaldo Lúcio Abel, “Vadinho”, recebeu tantas vaias da plateia presente na última sessão da Câmara por somente agora querer criticar a saúde do município, que se tivesse ovo ele sairia “melado”.

BABADO II – Inconformado pelas vaias e sem conseguir se defender, “Vadinho” se retirou do plenário muito antes da sessão terminar. Mas o salário receberá igual a todos que ficaram até o final. Isso é uma vergonha, como diria Boris Casoy.

 

 

 

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.