quarta, 22 de maio de 2024

Coluna Poucas & Boas 22/01 a 28/01

ACIONANDO O BOM SENSO – A coordenadoria de comunicação da Prefeitura vive dando bola fora. Depois de utilizar à exaustão o verbo “contemplar”, referindo-se a um benefício recebido (o bairro tal foi contemplado com o asfalto, contemplado com a troca de lâmpadas, etc….); agora emitiram nota em que a submissão da imprensa comprada com dinheiro público ficou mais evidente. Referindo-se a uma entrevista coletiva, a nota emitida afirma que “a Prefeita Belkis acionou a imprensa”. É só estalar o dedo que eles vão correndo?

FORA DE HORA – Ao invés de economizar dinheiro e priorizar investimento em outras áreas, a prefeita Belkis prefere fazer festa de Carnaval, apesar da crise econômica que a cidade vive. Ourinhos não tem tradição de carnaval, e no ano passado a Câmara Municipal votou contra o recurso para o evento, que reuniu um público pequeno, formado principalmente por cargos de confiança. Tá sobrando dinheiro, Belkis?

CANDIDATOS A PREFEITO – Por enquanto o clima político está ameno, mas não deve continuar assim por muito tempo. Boatos de que o ex-prefeito Toshio poderá participar das próximas eleições trouxeram esperança para o grupo ligado à administração municipal. Também existe a possibilidade de Belkis tentar a reeleição, situação que provoca desânimo no grupo. Por enquanto reina a indefinição quanto ao candidato a prefeito ligado ao grupo PSDB-PMDB.  

DOIS PRA LÁ, DOIS PRA CÁ – Se a relação entre Toshio e Belkis quase azedou no início do mandato, agora eles tentam uma reaproximação, justificando o melhor para o grupo. Tipo Dilma e Temer. 

DÚVIDA CRUEL – “Mas como vou arrumar 200 votos, se ele é puxa-saco da Belkis?” A pergunta angustiada foi assunto de conversa em fila de banco, e o comentário foi feito por uma professora que ocupa cargo de confiança, indicada pelo vereador Flavinho do Açougue (PMDB). Segundo ela, os cargos de confiança estão sendo pressionados a trabalhar para a reeleição do vereador. 

CORRENDO POR FORA – Enquanto isso, o vereador Lucas Pocay (PTB) vem obstinadamente costurando alianças políticas. O PV e o PSC já manifestaram apoio ao candidato, e o mesmo deve acontecer com outros partidos. Pocay também tem apoio de diversas lideranças de bairro, e sua participação tem crescido no vazio político verificado com a má avaliação do governo Belkis. 

ATÉ QUANDO? – O mandato da atual prefeita está chegando ao fim, e a novela da diminuição do número de cargos comissionados ainda não deu em nada. O vereador Inácio J. B. Filho fez campanha acirrada na Câmara pedindo a diminuição desses cargos, comparando com o quadro de funcionários de outras cidades. O Ministério Público também acompanha a ação sobre o assunto, mas na prática tudo continua como Dantes no Quartel de Abrantes. 

BATALHÃO ESFARRAPADO – O PSDB conseguiu se manter no poder em Ourinhos por tantos anos graças à ajuda preciosa dos mais de 350 cargos comissionados, que formam um grupo gratuito de trabalho eleitoral, à disposição dos políticos que administram a cidade. Difícil vai ser motivar essas pessoas e suas famílias para a próxima eleição, cansadas de receber críticas pela má gestão da prefeita Belkis. 

A QUE VEIO? – O trabalho da Secretaria de Assistência Social tem sido medíocre. A atual secretária não conseguiu sucesso no trabalho de prevenção contra as drogas na adolescência, diminuição da mendicância ou iniciativas de apoio à terceira idade. Novos conjuntos habitacionais se formaram na cidade, sem que existam projetos eficientes na periferia para motivar os adolescentes para práticas saudáveis de vida. Uma lástima. 

CADÊ A CONCHA? – Já começou a contagem regressiva: Será que a prefeita Belkis vai conseguir colocar em pé antes do final do mandato a obra que o ex-prefeito Toshio mandou derrubar por erro de projeto? E o dinheiro investido na concha que caiu, como é que fica? 

ZICA – Deu zica, e não é a doença transmitida pelo pernilongo. O ambiente entre os funcionários da Santa Casa vai de mal a pior. A demissão de mais de 100 funcionários trouxe insegurança para quem trabalha no hospital, e temor para a população. Enquanto isso, o povo pede a Deus para não ficar doente, senão…

BANGUELAS – Enquanto alguns municípios estão implantando atendimento odontológico de emergência na UPA, em Ourinhos quem precisa de dentista da rede pública sofre bastante. Além da demora, o atendimento é limitado a alguns procedimentos básicos e faltam equipamentos e material. A atual gestão da saúde não avançou no atendimento odontológico, e quem mais precisa não consegue atendimento. 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.