sexta, 19 de julho de 2024

COLUNA: PROFISSÃO & CARREIRA

Publicado em 24 set 2018 - 09:07:06

           

Professor Valdir Barbosa*     

“As pessoas com seu entusiasmo irradiando brilhos nos olhos, é que fazem a grande diferença competitiva nas organizações!” by Professor Valdir Barbosa (*) 

As organizações dependem das pessoas que geram a sua “mais valia”, para aplicar o seu “mote” negocial, através do seu planejamento estratégico, com visão assertiva e assim, operacionalizar a sua organização, resultando e impactando o acúmulo de capital, através de uma relação de interdependência dinâmica, dirigi-las e controla-las, com o objetivo empresarial de fazê-las operar e funcionar adequadamente para atingir a excelência e o sucesso organizacional. 

É fundamental e plausível tratar as pessoas como pessoas dotadas de características próprias de personalidade e de individualidade, com suas emoções, aspirações, valores e atitudes, que são inerentes ao ser humano. As pessoas são importantes recursos organizacionais dotadas de conhecimentos, habilidades e destrezas necessárias para a realização da tarefa organizacional, e que podem ser desenvolvidas através de treinamentos de qualificação e capacitação profissional, numa educação evolutiva e continuada. 

Um fator relevante nas pessoas com as organizações está relacionado com a satisfação profissional. A satisfação no trabalho é um fator relativo e multifatorial que depende de múltiplas variáveis intrínsecas e extrínsecas. A vertente intrínseca está relacionada com a identidade e personalidade do profissional e suas expectativas profissionais. É aquilo que o trabalhador acredita merecer ou deseja receber, condicionado a sua realização profissional. As variáveis extrínsecas estão relacionadas às variáveis das condições de trabalhos e ao clima organizacional. 

O clima organizacional é a qualidade ou propriedade do ambiente organizacional que é percebido ou experimentado pelos colaboradores desta organização, influenciando mutuamente seus comportamentos e suas atitudes, formando assim, um elo relacional de campo emocional vibracional, ou seja, uma “egrégora” (do grego, designa a força gerada pelo somatório de energias físicas, emocionais e mentais de duas ou mais pessoas, quando se reúnem com qualquer finalidade). Essa “egrégora” de campo energético quantizado influencia o estado motivacional das pessoas, que é por ele também influenciado, numa relação de interdependência.   

O clima organizacional é favorável quando proporciona satisfação das necessidades pessoais dos seus participantes, resultando assim numa melhor qualidade de vida profissional e impactando de uma forma positiva no aumento da produtividade. 

As organizações devem preocupar-se não apenas com o binômio produtividade/lucratividade, para o acúmulo de capital, que são características marcantes do sistema capitalista, mas também investir em outro binômio, a qualidade de vida no trabalho e a satisfação do trabalhador. A satisfação é uma variável importante para uma organização, pois está muito relacionada com os índices do absenteísmo e a rotatividade dos seus trabalhadores.  

As Organizações devem considerar que as pessoas são os ativos intangíveis que geram acúmulo de capital e vida perene na organização! Assim, as pessoas e as organizações precisam de uma interface humanizada para atingir a excelência profissional e o sucesso organizacional.

Portando, humanizar é preciso!

 

*Empreendedor, Psicólogo/Especialista em Psicologia Escolar-Educacional; Licenciado em Pedagogia e Geografia(Unesp), Professor em Desenvolvimento Profissional e Gerencial, Docente do Ensino Superior, Formação de Consultor em Gestão da Qualidade, Técnico em Segurança do Trabalho, Tecnólogo em Gestão de Recursos Humanos, Extensão Universitária em Arqueologia do Capitalismo, Pós-Graduado em Gestão Escolar e Palestrante Motivacional.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.