sábado, 20 de julho de 2024

Com novo vídeo, polícia investiga se PMs presos por executarem foragido alteraram cena do crime

Publicado em 28 set 2021 - 00:38:43

           

Novas imagens mostram policiais próximos da vítima antes dela ser socorrida em Ourinhos (SP). Testemunhas também foram ouvidas no inquérito que apura a conduta dos policiais militares.

 

Da redação

 

A Polícia Civil investiga se os policiais militares presos por executarem um foragido da Justiça em Ourinhos (SP), no dia 20 de setembro, adulteraram a cena do crime antes da chegada dos peritos do Instituto de Criminalística.

Murilo Henrique Junqueira, de 26 anos, foi morto com três tiros quando já estava rendido e com as mãos na cabeça.

 

Novas imagens mostram mais policiais próximo da vítima após a abordagem em Ourinhos — Foto: TV TEM/ Reprodução

 

A reportagem da TV TEM teve acesso à novas imagens das câmeras do circuito de segurança que flagrou a abordagem do subtenente Alexandre David Zanete, 49 anos, e do cabo João Paulo Herrera de Campos, 37 anos, que foram presos no dia seguinte.

No vídeo é possível ver que mais policiais militares aparecem perto da vítima antes da chegada do Samu, que socorreu Murilo ainda com vida. Eles estão com lanternas e parecem estar vistoriando o local

Essas imagens, assim como o vídeo que mostra a execução do foragido, foram anexadas ao inquérito e a Polícia Civil vai apurar o que os policiais faziam ali e se houve alguma tentativa de adulterar a cena crime, para dificultar a investigação.

Três depoimentos de policiais militares estão marcados para essa semana na investigação sobre o caso. A polícia já ouviu outras testemunhas na semana passada.

 

Veja o que se sabe e o que falta saber sobre o crime

Quatro pessoas foram ouvidas, três delas moradores do local onde aconteceu o crime. Um desses moradores, inclusive, prestou depoimento antes da divulgação do vídeo que mostra o que aconteceu e as informações dele confirmaram o que aparece nas imagens.

Ele disse que os policiais chegaram de forma violenta já com as armas apontadas para atirar.

Além dos moradores, a polícia também ouviu a esposa do Murilo. Na segunda-feira (27), o delegado da DIG de Ourinhos, José Henrique Ribeiro Junior, foi para Bauru acompanhar a perícia nas imagens de circuito de segurança.

Os policiais estão presos temporariamente no presídio Romão Gomes, na capital paulista. Em nota, a PM informou que abriu uma investigação interna e, com base nas provas colhidas, representou pela prisão preventiva ao Tribunal de Justiça Militar dos policiais militares envolvidos na ação.

Veja vídeo: globoplay.globo.com/v/9895659/

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.