quinta, 18 de julho de 2024

Crime que chocou a cidade de Ourinhos e trouxe o tema “feminicídio” para o centro do debate na sociedade ourinhense será julgado no próximo dia 21 de junho.

Publicado em 19 jun 2018 - 09:38:21

           

Marcília Estefani

No dia 12 de agosto de 2017, perto das 4h da manhã, na Rua Vitório Christoni, Jardim Santa Fé, um caso de amor conturbado teve um desfecho trágico.

Wellington Aparecido Silva, 51 anos, policial reformado, estudante de Direito e ativista pelos direitos dos animais; deu três tiros na ex-esposa, Josiane Cristina Calistro, 37 anos, universitária.

A moça estava dirigindo um carro, na companhia de um amigo para o qual ela estava dando carona após sair de uma casa noturna.

Josiane ainda dirigiu por alguns metros e acabou colidindo em um poste, o amigo nada sofreu. Mesmo sendo socorrida, ela não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo na Santa Casa de Misericórdia de Ourinhos. O autor confesso, Wellington, ficou foragido mas se entregou poucos dias depois.

Segundo depoimentos de amigos e parentes de Josiane, o relacionamento dos dois era muito complicado, mesmo antes do casamento ela já tinha pedido uma ordem de restrição judicial contra o acusado.

O motivo do crime teria sido ciúmes: Wellington não aceitou o fim do casamento e teria ficado enciumado ao ver Josiane com outro homem.

O Ministério Público irá pedir a condenação por homicídio qualificado (motivo torpe; recurso que impossibilitou a defesa da vítima; crime contra mulher por razões da condição de sexo feminino).

O julgamento ocorrerá no Fórum da Comarca de Ourinhos a partir das 13h.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.