quarta, 17 de julho de 2024

Diferença de preço do combustível força postos a baixarem o preço

Publicado em 18 ago 2016 - 06:59:52

           

Desde janeiro deste ano os preços dos combustíveis em Ourinhos têm registrado redução, embora o comportamento do setor na cidade seja considerado de baixa concorrência, a pequena competição entre os estabelecimentos forçou recuo de preços. A diminuição no consumo também é um fator a ser considerado, mas uma maior concorrência além de diminuir a possibilidade de alinhamento de preços, formação de cartel, traz efetivamente preços mais baixos.

Levantamentos de preços semanais da ANP – Agência Nacional de Petróleo demonstram que a variação de preços mais significativas ocorrem apenas em quatro estabelecimentos entre os 17 postos da cidade. A relação entre o mais barato e mais caro vai de R$ 0,05 até R$ 0,36 por litro de gasolina. No caso do etanol as diferenças são parecidas, de R$ 0,05 a R$ 0,30. O diesel tem menor variação, com diferença de até R$ 0,20 entre o menor e o maior preço cobrado. 

No final de janeiro o valor mínimo praticado para gasolina comum era de R$ 3,38 e o valor máximo estava em R$ 3,79. O etanol ficou entre R$ 2,46 e R$ 2,79. Com a pequena oscilação para baixo nos seis meses que se seguiram o menor preço da gasolina encontrado esta semana foi de R$ 3,29 e o maior a R$ 3,69.  O etanol entre R$ 2,15 e R$ 2,49. Para os consumidores que tem a noção do que significa para o seu bolso a diferença de preços em centavos a economia varia de 5,0% a 9,5%. Segundo a ANP, comparado a outras cidades da região, Ourinhos tem o menor valor por litro entre as cidades.

Procon de Ourinhos não fiscaliza

Em todo o país a maioria dos órgãos de Defesa do Consumidor (PROCON) realizam pesquisas de preços dos combustíveis, os levantamentos com comparativos são amplamente divulgados listando todos os estabelecimentos e os respectivos valores cobrados. O objetivo do monitoramento é uma forma eficaz de auxiliar os consumidores a economizar ao abastecer seus veículos. Pesquisas desse tipo são instrumentos eficazes que visam equilibrar as relações de consumo já que o consumidor é a parte mais vulnerável nessa relação.

Em Ourinhos os motoristas devem ficar atentos e verificar os preços por meios próprios antes de abastecer, pois ao que se tem notícia, o PROCON, local que é administrado pela prefeitura, nunca realizou estudo do tipo. Procurada pela reportagem a chefe do órgão local Débora Cristina Leite Romani não soube dizer se o PROCON da cidade já fez e divulgou pesquisa com intuito de informar os consumidores sobre os preços praticados. Como diretora do órgão desde 1º de agosto deste ano, Débora declarou à reportagem que levantamentos e divulgação de estudos dessa natureza é uma incumbência da regional do órgão em Bauru.

Porém em contato com a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor em São Paulo a informação é de que o PROCON de cada cidade tem a liberdade de realizar e divulgar pesquisas desse tipo sem restrições e a necessidade de autorização das regionais. Cabe a direção de cada órgão local tomar iniciativas nesse sentido como forma de favorecer a economia dos consumidores ao abastecer seus veículos.

 

Confira no box a síntese do comportamento dos preços na cidade e as opções na procura por economia ao abastecer:

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.