quarta, 22 de maio de 2024

ECO planta árvores no Jardim Oriental

José Luiz Martins

A Equipe de Canoagem de Ourinhos – ECO, organização não governamental formada por canoístas já existe há 15 anos. O grupo surgiu em meados da década de 90, tornou-se uma ONG em Junho de 2003 com a formação do quadro associativo e elaboração de um estatuto e foi reconhecida como entidade de utilidade pública por decreto municipal em setembro 2003. 

O grupo já foi bem maior e hoje conta com 30 sócios praticantes da canoagem que usufruem também do lazer que a atividade proporciona a suas famílias e amigos. Conforme Roberto Palermo membro da atual diretoria, desde sua fundação a ECO mantém a preocupação com o meio ambiente buscando inserir-se em ações de preservação ambiental dentro e fora da água.

Entre as atividades da ECO relaciona-se vários mutirões de limpeza do Rio Paranapanema recolhendo lixo acumulado às margens com caiaques e barcos, palestras sobre ecologia e replantio de arvores. Palermo foi o primeiro presidente da a ONG, que desde 2004 tem sede própria em área próxima ao Clube Diacuí com direitos de uso cedido pela família Ferrazoli.

No local foi construído um viveiro de mudas que está sendo reativado pela nova diretoria para incrementar o replantio de arvores tanto as margens dos rios quanto em áreas urbanas. 

Recentemente a ECO, com a participação da Família Jovens Vicentinos e apoio dos moradores do bairro, ajudaram a Secretaria de Meio Ambiente de Ourinhos (SMA) a plantar 444 mudas de árvores nativas no Jardim Oriental. Cerca de 50 pessoas realizaram o plantio em uma APP (Área de Preservação Ambiental) ao redor do córrego do Jacuzinho com as mudas fornecidas pela Secretaria. 

A ação se repetiu no sábado dia 25, Roberto dá os detalhes: “ É uma área bem grande, já plantamos mais de 400 mudas de mais de 20 espécies, Ypê , peroba rosa, são várias mudas nativas. Mas o terreno é bem grande e neste sábado vamos realizar outra vez o plantio de mais umas 500 mudas ali. Gostaria de convidar todos que simpatizam com esse trabalho de preservação do meio ambiente e vir participar com a gente. 

O diretor disse que a atividade promovida pela ECO em causas ambientais está aberta a qualquer pessoa e não precisa ser canoísta para ajudar. O grupo quer agregar de forma voluntaria, também pessoas interessadas que tenham conhecimentos técnicos e formação profissional para desenvolver projetos, como o reflorestamento da extensa área dos barreiros próximo do Diacuí.

Durante décadas a localidade sofreu a exploração das jazidas de argila para as cerâmicas de Ourinhos, o que ocasionou grande desmatamento e a formação de uma quase uma dezena de lagoas. “A ideia é transformar aquela região com reflorestamento e criar uma estrutura para prática de esporte e lazer. Lá não pode mais tirar argila, é uma área particular e poderia ser aproveitada, claro com a concordância dos donos. Depende de se fazer um projeto e ver se é possível, mas precisamos de mais gente interessada”, destacou Palermo.

Perguntado se vê como satisfatória as condições de arborização da cidade, Roberto Palermo afirmou que há muito ser feito nesse sentido: “Acho que Ourinhos não é uma cidade bem arborizada, ainda tem muitos lugares para ser plantado árvores, falta árvores tanto em áreas mais urbanas quanto em outras áreas estratégicas como nas nascentes e margens dos córregos. Nossa atenção é voltada principalmente pra esses locais onde há água também a ser preservada”

Finalizando, destacou que o setor público encarregado da atenção as questões ambientas na cidade tem feito o que pode. Acredita que talvez falte pessoal para Secretaria de Meios Ambiente o que dificulta o trabalho a ser feito no município. Salientou que a ECO estará seguindo com suas ações próprias voltadas a questão e apoiando as iniciativas do setor público, se unindo no que for preciso para preservação ambiental.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.