quinta, 18 de julho de 2024

Em três meses radares multaram mais de 4 mil motoristas

Publicado em 26 fev 2016 - 04:51:42

           

José Luiz Martins

A polêmica sobre os radares fixos instalados no ano passado pela Coordenadoria de Trânsito de Ourinhos/SP nas Avenidas Luiz Saldanha Rodrigues, Altino Arantes e Domingos Camerlingo Caló continua. Considerando exagerado o número de multas por excesso de velocidade, o sargento aposentado da PM, Mário Sérgio Pazianoto, protocolou na Prefeitura ofício solicitando providências da Coordenadoria de Trânsito para adequação da sinalização alertando a existência dos radares nas três avenidas.

Em release distribuído para a imprensa o ex sargento diz que é preciso “alertar aos condutores de veículos automotores sobre a existência de radares fixos através de sinalização horizontal de advertência, com a pintura sobre o pavimento, com o aviso de “RADAR – 50 KM/H”, numa distância de 100 metros antes dos equipamentos”, descreveu. 

Pazianoto afirma que em dezembro do ano passado, em apenas 10 dias de funcionamento os três radares multaram 600 veículos, conforme publicado no Diário Oficial do Município (05/02/16). Ele calcula que em média 2 mil veículos estão sendo autuados mensalmente nessas vias. Pazianoto destaca que o objetivo principal dos radares é educativo e preventivo de acidentes, mas se transformou numa fábrica de multas.

Segundo o sargento, permanecendo essa média de 4% de toda a frota de veículos do município, hoje com 50 mil emplacamentos, praticamente todos os veículos da cidade serão multados em um ano. “Nossa população não é contra a existência de radares, pois sabemos que tais equipamentos são um mal necessário, que coíbe abusos e evita acidentes, porém, os novos radares de Ourinhos se tornaram numa escalada de autuações, com cifras enormes de arrecadação”, afirmou.

O militar inativo, que também é gerente administrativo da APAS – Associação Policial de Assistência à Saúde argumenta que em outras cidades existem radares como em Ourinhos, mas a sinalização é reforçada pela pintura da inscrição “radar” no pavimento asfáltico e se a prefeitura adotasse a sinalização de solo seria uma atitude de boa vontade do executivo para com a população.

A reportagem observou que no fluxo da avenida Altino Arantes alguns condutores trafegam com velocidade acima do estabelecido, quando se aproximam do radar diminuem a velocidade para depois retomá-la alguns metros a frente, já fora do alcance das câmeras. O mesmo se repete em trechos das avenidas Luiz Saldanha Rodrigues e Domingos Camerlingo Caló com muitos condutores sendo pegos acima da velocidade permitida. 

Consultado pela reportagem do Novo Negocião, o coordenador Municipal de Trânsito, Alfredo Amádio, disse que a sinalização obedece as normas do Contran, e que é necessário que os motoristas se conscientizem. “É preciso respeitar os limites de velocidade em toda a rua, não pode ser somente no trecho em que está instalado o radar”.

Conforme Amádio, com a alteração da resolução do CONTRAN nº. 396 de dezembro de 2011, a sinalização em via pública informando a existência de radar passou a não ser mais necessária. De acordo com o coordenador a Prefeitura fará em breve uma campanha de conscientização para os condutores de veículos, com faixas em toda a extensão da rua e não somente próximo ao ponto de fiscalização, sobre a velocidade máxima permitida para a referida via. Ele informou ainda que desde o inicio de operação dos radares em 01 novembro de 2015 até 31 de dezembro de 2015, os três radares fixos juntamente com o estático registraram 2.790 veículos acima da velocidade máxima permitida para a via; do dia 01 a 31 de janeiro de 2016 foram 1.303. 

Os valores das multas por excesso de velocidade têm uma variação percentual sobre os limites estabelecidos em cada via. Até 20% da velocidade máxima o valor é de R$ 85,13 – infração média com 4 pontos carteira; velocidade acima 20% até 50% R$ 127,69 – infração grave e perda de 5 pontos; acima de 50% do limite estabelecido a multa é de R$ 574,69 – infração gravíssima e suspenção da habilitação.

A coordenadoria ainda informou que a grande maioria das autuações acontecem por ultrapassar 20% da velocidade permitida, mais alguns casos em que motoristas circulam com velocidade acima de 50% do limite. Como no caso de um condutor que foi multado as 11:30h de uma manhã de quinta-feira, em pleno horário de pico de tráfego, a 112 km por hora na avenida Altino Arantes.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.