sexta, 24 de maio de 2024

Empresas de Ourinhos não se interessam por licitações da prefeitura

José Luiz Martins

Através do monitoramento sistemático de editais de licitação e pregões na prefeitura entre o período de maio a agosto deste ano, o Observatório Social do Brasil de Ourinhos – OSBO, conseguiu prevenir que o desperdício e mau uso do dinheiro público se efetivasse em vários processos licitatórios. Esse é um dos principais objetivos da instituição que com trabalho preventivo consegue antever irregularidades e possíveis fraudes garantindo economia de recursos do erário municipal.

Trilhando o caminho da prevenção, se antecipando e esmiuçando processos de concorrência pública com pessoal treinado para destrinchar as entrelinhas os editais de licitações,  o trabalho dos técnicos do da associação evitou que R$ 4.564.375.73 dos cofres municipais fossem gastos desnecessariamente. Esses e outros dados estão disponíveis no 1º Relatório Quadrimestral de atividades do Observatório Social de Ourinhos apresentado em setembro resultado de trabalho de monitoramento da administração municipal e fiscalização dos gastos públicos.

No documento consta uma série de indicadores da gestão pública municipal detalhando o quanto do foi gasto em 14 áreas da administração pública, cujo gasto total do município em 2015 chegou a 292 milhões. O estudo traz informações como a constatação de que empresas e fornecedores de Ourinhos praticamente não participam das concorrências.  A participação de processos licitatórios, majoritariamente são de empresas de outras cidades, os dados revelam que em 64 pregões presenciais, 120 empresas de fora participaram e somente 16 de Ourinhos se interessaram pelos certames licitatórios.

O relatório completo das atividades do OSBO é público e está disponível no site ourinhos.osbrasil.org.br Confira nos demonstrativos exemplos de atuação e monitoramento feitos pela Associação e, de algumas irregularidades detectadas cujos processos licitatórios foram revistos e corrigidos.

 

 José Luiz Martins

Através do monitoramento sistemático de editais de licitação e pregões na prefeitura entre o período de maio a agosto deste ano, o Observatório Social do Brasil de Ourinhos – OSBO, conseguiu prevenir que o desperdício e mau uso do dinheiro público se efetivasse em vários processos licitatórios. Esse é um dos principais objetivos da instituição que com trabalho preventivo consegue antever irregularidades e possíveis fraudes garantindo economia de recursos do erário municipal.

Trilhando o caminho da prevenção, se antecipando e esmiuçando processos de concorrência pública com pessoal treinado para destrinchar as entrelinhas os editais de licitações,  o trabalho dos técnicos do da associação evitou que R$ 4.564.375.73 dos cofres municipais fossem gastos desnecessariamente. Esses e outros dados estão disponíveis no 1º Relatório Quadrimestral de atividades do Observatório Social de Ourinhos apresentado em setembro resultado de trabalho de monitoramento da administração municipal e fiscalização dos gastos públicos.

No documento consta uma série de indicadores da gestão pública municipal detalhando o quanto do foi gasto em 14 áreas da administração pública, cujo gasto total do município em 2015 chegou a 292 milhões. O estudo traz informações como a constatação de que empresas e fornecedores de Ourinhos praticamente não participam das concorrências.  A participação de processos licitatórios, majoritariamente são de empresas de outras cidades, os dados revelam que em 64 pregões presenciais, 120 empresas de fora participaram e somente 16 de Ourinhos se interessaram pelos certames licitatórios.

O relatório completo das atividades do OSBO é público e está disponível no site ourinhos.osbrasil.org.br Confira nos demonstrativos exemplos de atuação e monitoramento feitos pela Associação e, de algumas irregularidades detectadas cujos processos licitatórios foram revistos e corrigidos.

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.