sexta, 24 de maio de 2024

Especialistas falam sobre a importância do ENEM na trajetória educacional dos jovens

Alexandre Mansinho

Na última segunda-feira (08) deu-se início ao processo de inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio edição 2017 – os alunos interessados devem acessar o site do Inep (http://enem.inep.gov.br) e seguir as orientações para realizar o cadastro. Esse ano o valor da inscrição subiu, agora o candidato deverá desembolsar R$ 82,00. Outra mudança foi relacionada aos dias de realização das provas: o que era em um sábado e um domingo seguidos, será agora feito em dois domingos – dias 5 e 12 de novembro.

Isenções – Até a edição 2016, bastava a autodeclaração de carência para obter a isenção da taxa de inscrição. Alguns candidatos, que não faziam jus ao benefício, acabavam obtendo por fazerem declarações falsas. Esse ano os critérios para isenção serão mais rigorosos, somente alunos do terceiro ano do ensino médio em escola pública; candidatos inscritos no CadÚnico e candidatos de famílias de baixa renda – para se encaixarem em algumas dessas categorias o sistema, durante a inscrição, solicitará documentos probatórios.

Polo Ourinhos – No último ano as provas foram realizadas em duas faculdades: Fio e Estácio de Sá. Com o crescimento do número de inscritos em Ourinhos e na região, há a possibilidade de ampliação do número de salas e de realização do exame em mais locais: é importante que o candidato tenha atenção redobrada durante a inscrição para não fazer a opção por polos distantes de sua residência.

Conselho dos especialistas – Clarice da Silva Coneglian, educadora e gestora do Colégio Santo Antônio Objetivo, considera positivas as mudanças implementadas pelo governo nesse ano: “estamos passando por mudanças importantes na legislação e na organização do Ensino Médio, as mudanças práticas feitas na aplicação do Enem são positivas, visto que a nota da prova é usada para a concessão de benefícios como o Fies, o Prouni e ainda para programas de descontos em universidades particulares”. Profa. Clarice, porém, alerta que os alunos não podem encarar o Enem como um “bicho papão”, pois isso pode ser extremamente prejudicial para o desempenho: “aqui em nosso colégio nós alcançamos sempre bons resultados porque temos um programa que coloca a formação humana e a orientação vocacional como foco durante todo o percurso do Ensino Médio. Nós procuramos, por meio de um trabalho multiprofissional, compreender qual é a aptidão do aluno para que, no momento do exame, ele possa estar bem preparado e consciente de suas escolhas”, completa.

Antônio Luiz de Barros Monzilo, educador e coordenador pedagógico do Colégio Pólis, ressalta que o Enem é uma etapa importante na vida do adolescente, mas que é importantíssimo que a família esteja junto no apoio das decisões do jovem: “se a família não for parceira do estudante, teremos uma pressão desnecessária que será muito prejudicial, já é uma pressão natural ter que tomar decisões tão sérias aos 16 ou 17 anos, precisamos auxiliar para que o jovem tenha todo o apoio necessário nessa fase única da vida”. Prof. Antônio também destaca que, com as mudanças estruturais pelas quais o Ensino Médio está passando, é natural que o Enem também passe por mudanças: “a escola com profissionais bem preparados será, sobretudo, a segurança que os adolescentes irão precisar nesse período de transformações”.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.