sexta, 19 de abril de 2024

Estudo aponta que Instagram e WhatsApp são as principais ferramentas de divulgação para PME’s

 A ferramenta queridinha do empresário brasileiro é o Instagram com 97% de utilização, seguido por Facebook (71%), WhatsApp (63%) e TikTok (33%)

 

Assessoria de Comunicação

 

O comércio varejista já se apropriou das redes sociais como principal meio de divulgação dos seus produtos, de acordo com informações da Nuvemshop, plataforma de lojas online. A ferramenta queridinha do empresário brasileiro é o Instagram com 97% de utilização, seguido por Facebook (71%), WhatsApp (63%) e TikTok (33%).

“O empresário já estava atento às redes sociais antes da pandemia. Quando a pandemia veio e todo mundo precisou se adaptar, as redes sociais foram importantes aliadas para o comerciante continuar vendendo, mesmo de portas abertas. Hoje o empresário sabe da importância da sua marca estar presente no digital, bem como ter frequencia no uso delas”, destacou o empresário e presidente da Associação Comercial e Empresarial de Ourinhos, Robson Martuchi.

E são as pequenas e médias empresas online – PME’s (89%) que utilizam as redes sociais como canais de venda adicionais ao e-commerce. Aplicativos de mensagens instantâneas como o WhatsApp são os mais utilizados (73%) e, em segundo lugar, o Instagram Shopping (67%).

De acordo com o country manager da Nuvemshop no Brasil, “apesar da preferência dos lojistas pelo Instagram, o TikTok é a rede social que mais cresce no Brasil. Em 2021, apenas 13% dos lojistas usaram o TikTok para criação de conteúdo. Já em 2022, esse número subiu para 33%. A tendência é de crescimento, visto que a preferência por vídeos curtos segue aumentando ao redor do mundo”.

 

 

WHATSAPP E MARKETING DE INFLUÊNCIA – A pesquisa também destaca a importância das redes sociais para o contato do empreendedor com seus clientes. Apenas no último ano, 94% dos lojistas online utilizaram o WhatsApp para atendimento ao cliente.

“O uso das redes sociais para otimizar o atendimento é uma estratégia crescente e que deve ser aproveitada pelos lojistas. Por meio de integrações com as lojas virtuais, automação e chatbots, é possível otimizar essa jornada, aumentando as taxas de conversão e diminuindo o abandono de carrinhos”, aponta Pedroso.

O marketing de influência por meio de campanhas com influenciadores é outra tendência mostrada pelo estudo. Apesar de 41% dos entrevistados ainda não utilizarem a estratégia, 21% afirmam ter interesse em fechar acordos com influenciadores digitais para a promoção de suas marcas e produtos em 2023.

Já em relação a campanhas pagas e anúncios, o estudo aponta que a maioria dos lojistas (60%) investe até mil reais por mês em tráfego pago, sendo 67% em Instagram Ads e 61% em Facebook Ads.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.