terça, 21 de maio de 2024

Falta de medicamentos para tratamento de pacientes com covid em UTI preocupa setor de saúde

“Estamos realmente vivendo uma situação de calamidade, uma situação desesperadora, que necessitamos do apoio, união, esforço e conscientização de todos nesse momento”, admite a prefeitura em nota

 

Da redação

 

Na manhã desta quarta-feira, 14, a prefeitura de Ourinhos divulgou em nota, a preocupação da administração com a falta de insumos para o tratamento de pacientes graves de Covid, internados nos hospitais da cidade, em especial nas UTIs. Segundo a nota, Ourinhos está entre os poucos municípios que ainda possuem estoque com duração de 10 dias, mas em estado de alerta.

Mediante ao comunicado da FEHOSP (Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo) sobre o grave desabastecimento de anestésicos e medicamentos do chamado “kit intubação” em cerca de 160 hospitais do Estado, a Prefeitura Municipal e a Santa Casa de Ourinhos pedem apoio as autoridades para exigir suporte emergencial do Governo Federal e do Estado para aquisição dos insumos e medicamentos necessários para manutenção dos leitos de UTI para pacientes com covid-19.

Cidades como Matão, Guarujá, Votuporanga, Presidente Epitáfio, Fernandópolis e Rio Preto, o estoque está previsto para acabar em dois ou três dias.

O cenário médico é de exaustão física e emocional dos profissionais da saúde, aumento de pressão e responsabilidade.

Estamos realmente vivendo uma situação de calamidade, uma situação desesperadora, que necessitamos do apoio, união, esforço e conscientização de todos nesse momento.

A Santa Casa de Ourinhos não terá condição de manter os leitos de UTI covid abertos sem os medicamentos necessários para o atendimento.

 

Ações para combate à covid

Ainda de acordo com a nota divulgada, “as ações para reduzir os impactos da pandemia têm sido diversas em Ourinhos com o foco na saúde pública e na preservação de vidas.

A Prefeitura de Ourinhos vem trabalhando fortemente no combate à covid desde o início da pandemia com a implantação e manutenção do único Hospital de Campanha de toda a região, com tratamento imediato, vacinação de forma rápida (existindo as doses), reforçou a estrutura de saúde, logística e o acompanhamento pós-doença, tanto que a cidade se encontra como referência no Estado de São Paulo, e com números bem abaixo de letalidade (total de casos x total de óbitos) comparado a outros municípios.

Pelo site https://www.seade.gov.br/coronavirus/, Ourinhos apresenta letalidade de 2,1%, estando abaixo de 400 municípios que apresentaram dados mais críticos. Ainda assim, não está isenta da falta de medicamentos do “kit intubação”, que é um problema nacional, além da dificuldade de estoque de oxigênio.

Os medicamentos e insumos estão em falta em mais de 22 fornecedores no país e no exterior. Aliado ao desabastecimento, a elevação do preço desses produtos chega a 500%.

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.