quinta, 23 de maio de 2024

Faltam passarinhos, sobram pernilongos

Quem mora no interior de São Paulo está convivendo com milhões de pernilongos. Seca? Efeito estufa? Lixo? Falta de passarinho?

Ops! Falta de passarinho? Isto mesmo! Um passarinho come até 150 pernilongos/dia. Com a falta deles, os pernilongos fazem a festa em nossas casas. 

Faltam passarinhos por causa de desmatamento? Um pouco. 

Faltam passarinhos por causa dos venenos que colocam nas plantações? Isto também contribui. Estes venenos agrícolas são verdadeiras armadilhas para eles, que comem e depois morrem envenenados. 

Faltam passarinhos porque a casa de cada um de nós está cada vez mais anti-ecológica? Sim, com certeza! 

Você me pergunta: “Como assim? Minha casa está cada vez mais anti-ecológica? Por que?” 

Faz tempo que eu tenho notado este fenômeno. São 4 mudanças fundamentais no quesito “jardim”: 

1) Cada vez mais as casas estão impermeabilizadas. Ou seja, progressivamente os lugares onde existiam plantas (grama, jardim, árvores, etc.) estão sendo cimentados. Isto diminui, obviamente, os espaços onde os passarinhos e outros animais podem encontrar abrigo, alimento, etc; 

2) As grandes árvores em frente das casas fazem sombra, refrescam a casa, mas geram folhas (sujeira segundo algumas donas de casa) e diminuem a iluminação dos postes de luz. Ruas com muitas árvores grandes são mais escuras. Por causa do medo de assalto, as árvores, principalmente as grandes, estão sendo cortadas ou não substituídas quando morrem: ganha-se em luz e menos “sujeira”. 

Hoje são comuns casas sem árvores na frente. Andei por 3 bairros neste domingo e todas as árvores de grande porte que eu vi são árvores antigas, plantadas décadas atrás. Nada de árvore de grande porte plantada recentemente. Quando plantam, são árvores de pequeno porte e praticamente nunca árvore frutífera. 

3) Existem poucas áreas públicas e estas áreas públicas estão com pouca ou sem árvores e arbustos nativos. Isto é importante! Os passarinhos de sua região estão adaptados a comer frutos de árvores nativas. Por isto é importante que estas árvores (arbustos, etc.) tenham preferência na hora de serem compradas e plantadas. Dezenas destas plantas estão desaparecendo. Quando foi a última vez que você comeu bacaúva? Talvez você nem conheça esta fruta, tão consumida há 60 anos atrás. 

Hoje, com a Internet qualquer um pode descobrir quais são as plantas nativas de sua cidade, arrancar o cimento do quintal e fazer um belo de um jardim. E ter a alegria de alimentar outros seres vivos. 

4) A estética preferida nos jardins atualmente geram um deserto verde: coqueirinhos, coqueirinhos, mais coqueirinhos. Para quebrar um pouco a monocultura de coqueiros, se coloca outras plantas que não produzem frutos, nem flores e nem dão abrigo aos animais. Ou seja, um deserto verde. 

Tudo isto diminui a quantidade de alimentos e abrigo para os passarinhos. Diminui a quantidade deles que se alimentam de pernilonogos, que vão na sua casa te picar, que te fazem acordar a noite. Para contornar tal incômodo você coloca veneno nos quartos para você e sua família se intoxicarem. 

Está na hora de cada um assumir a responsabilidade e transformar sua própria casa em uma área onde a ecologia é respeitada.

(Fonte: Portal Meio Ambiente. Duva L. Steck Brunelli)

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.