sábado, 20 de abril de 2024

Fios Solidários Ourinhos: um tecido de amor e esperança nascido na luta contra a depressão  

Um pequeno grupo de voluntárias que hoje envia para todo o Brasil toucas produzidas de forma solidária.

 

 

Alexandre Mansinho

 

 

A ONG “Fios Solidários Ourinhos” é um projeto inspirador que nasceu em Ourinhos graças à determinação e resiliência da professora Adriana Bordinhão Viciolli. Adriana foi diagnosticada com depressão severa em 2015 e, a partir daí, realizou uma jornada difícil, marcada por momentos de profunda tristeza e sofrimento que foram, aos poucos, sendo superados com o auxílio do voluntariado.

O diagnóstico veio somente depois de um episódio de síndrome do pânico dentro de uma sala de aula, na ETEC de Ourinhos, escola na qual trabalha até hoje. Adriana precisou se afastar de suas atividades profissionais e viu toda a sua vida profissional e pessoal ruir: chegou a ficar um mês dentro do seu quarto, devido à gravidade de seu quadro depressivo. No entanto, em meio a essa adversidade, ela encontrou uma nova paixão e um propósito transformador: a arte de contar histórias: ela fez um curso de pós-graduação em contação de histórias e iniciou, aos poucos, sua história de superação.

ADRIANA VICIOLLI_MÁRCIA PADOVANI

No final de 2017, durante um evento na UNESP de Ourinhos, Adriana conheceu uma voluntária de Botucatu que estava ensinando a confeccionar toucas de crochê para doar ao hospital de câncer da UNESP de Rubião Júnior. Esse encontro deu origem à ideia de criar um grupo de voluntários em Ourinhos para arrecadar fios e produzir toucas e doar para ONG’s e hospitais oncológicos.

“O projeto começou pequeno, na minha casa, e foi muito importante para a minha longa jornada de cura (…) mas o projeto cresceu e começou a impactar bastante a vida de diversas voluntárias”. A organização é feita com a arrecadação dos fios e, em um dia agendado no mês, todas as pessoas que se dispõem a crochetar, vão até o lugar combinado e produzem os gorros. Durante a produção, há uma troca de experiências e vivências significativas para todos os envolvidos.

BETH CARELLI_AMIGAS DO PEITO

Com o aumento do número de voluntários e a necessidade de espaço, o grupo expandiu suas atividades para a biblioteca municipal e o salão do Rotary Clube. Porém, em 2021, com a chegada da pandemia, os trabalhos foram suspensos. Após a retomada das ações, Adriana já tinha voltado ao trabalho, isso acabou dificultando a coordenação do Fios Solidários – foi aí que a voluntária Beth Carelli assumiu a coordenação.

Beth Carelli assumiu a missão de manter viva a essência dos “Fios Solidários Ourinhos”. Ela ofereceu sua casa para organizar reuniões de voluntários e continuar a produzir gorros com amor e comprometimento. As toucas confeccionadas são feitas para diversas associações, incluindo “Amigas do Peito”, “RECCO”, “Apae” e hospitais oncológicos em toda a região, espalhando calor humano e esperança.

IVANA GODOI_MARISANGELA SANSON

O trabalho já se multiplicou: Márcia Padovani conheceu o trabalho da Fios em Ourinhos e se sentiu inspirada a levar a ideia para sua cidade, Campinas (SP). Hoje já existe a Fios Solidários Campinas que, seguindo o exemplo das voluntárias ourinhenses, reúne pessoas para produzir gorros e doar para os hospitais e ONG’s campineiras.

O trabalho dessas voluntárias é uma verdadeira demonstração de solidariedade e empatia, onde o tempo, a dedicação e o amor ao próximo são os ingredientes fundamentais. Cada toca produzida não é apenas um acessório, mas um apoio àqueles que enfrentam desafios de saúde.

 

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.