sábado, 22 de junho de 2024

Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida

Da redação

A Diocese de Ourinhos durante este período que se iniciou na Quarta-Feira de Cinzas buscou conscientizar as cidades pertencentes a Diocese sobre o cuidado que devemos ter sobre a casa comum e principalmente sobre os nossos biomas, presentes em nosso Brasil, já que o tema da campanha deste ano foi: “Fraternidade: Biomas Brasileiros e defesa da Vida”, tendo como lema “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2,15). Sendo assim, foram realizados sessões solenes nas Câmaras Municipais de algumas cidades, onde Ourinhos foi um dos exemplos, assim como Santa Cruz e Ipaussu, buscando conscientizar os órgãos públicos sobre a necessidade de se cuidar de nosso meio ambiente.

Na Forania de Ourinhos também ocorreu um Simpósio que foi uma parceria entre a Forania de Ourinhos e a UNESP – Campus de Ourinhos. O evento contou com a presença de autoridades municipais de Ourinhos, Canitar, Salto Grande e Chavantes, leigos das paróquias da forania, professores, padres e seminaristas.

Os que compuseram a mesa do Simpósio juntamente com o Professor da UENP, Maurício de Aquino foram o Professor da UNESP de Ourinhos Édson Luís Pirolli e o Seminarista Paulo Eduardo Benetti de Arruda, bacharel e licenciado em Ciências Biológicas pela UNESP – Assis.

O Professor Édson iniciou as colocações falando sobre a importância de cada bioma para o nosso país e, posteriormente, falou sobre a grande importância das áreas permeáveis para a renovação do ciclo da água em nossa cidade e em nosso país, além de mostrar os grandes impactos ambientais em relação a canalização dos córregos e quanto isto é prejudicial para a natureza, para nós e para o ciclo hídrico em si. Foram mostradas realidades recentes sobre estes aspectos na cidade de Ourinhos, o que causou grande impacto para todos os que estavam ali presentes.

No segundo momento deste simpósio, o Seminarista Paulo Eduardo Benetti de Arruda apresentou ao público presente a Encíclica Papal Laudato Si do Papa Francisco, mostrando que para cuidarmos de nossa casa comum precisamos tomar consciência e ação não somente na área ambiental, mas também no ambiente social, político, econômico e humano, pois todos nós estamos interligados e somos responsáveis por cuidar deste mundo criado e dado de todo amor por Deus, e é a partir de pequenas ações humanas, sociais, políticas e ambientais que podemos mudar nosso mundo, deixando algo digno para as nossas futuras gerações.

Também como gestos concretos após este Simpósio, as paróquias realizaram visitas aos córregos correspondentes a cidade de Ourinhos e também levaram os catequizandos para verem a realidade das vias fluviais que passam dentro de nosso município e realizaram o plantio de árvores nos locais para que, futuramente a área verde naquelas regiões possam ser maiores, aumentando a área permeável e melhorando ainda mais o ciclo hídrico.

Na missa do dia 2, foi reforçado a necessidade de se cuidar e guardar bem a criação dada a nós por Deus e que devemos ser conscientes de que estamos tão interligados com o mundo e a natureza que sem nosso ato de amor e de cuidado por este presente de Deus pereceremos rápido e não haverá nada para deixarmos para nossas futuras gerações. Como gesto concreto, foram dadas 100 mudas de árvores de Ipês brancos, amarelos e roxos e quaresmeiras para serem plantadas pelos fieis em suas casas, calçadas ou propriedades rurais.

É necessário percebermos que estamos muito ligados com este mundo e acima de tudo ligados ao nosso Deus e que Ele nos pede para sermos cuidadosos com ele e assim buscar salvar o nosso futuro começando pelo nosso presente, o agora, e com isso construirmos uma sociedade mais fraterna e bela, movida pelo amor e pela compaixão para com o próximo.

(Por Seminarista Paulo Eduardo Benetti de Arruda)

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.