quinta, 22 de fevereiro de 2024

Governo anuncia acordo para fim da greve dos caminhoneiros

Alexandre Mansinho

Após várias horas de reunião entre representantes do governo e representantes de entidades de caminhoneiros em Brasília, é anunciada proposta do governo de um acordo para a suspensão da paralisação do movimento de greve dos caminhoneiros que tomaram conta das rodovias de todo o país desde a segunda-feira, 21.

Acordo suspende por 15 dias a paralisação e garante benefícios aos trabalhadores. Entre os caminhoneiros parados nos pontos de manifestação o clima é de desconfiança, o desafio agora é convencer os motoristas a voltar ao trabalho nessa sexta-feira, 25.

Representantes do SINDICAM de Ourinhos afirmam que a manifestação continua e não tem data para acabar e que outros focos da paralisação seguem a mesma conduta.

Veja alguns pontos do acordo:

–  Preço do diesel será reduzido em 10% e ficará fixo por 30 dias. O valor ficará fixo em R$ 2,10 nas refinarias pelo período;

 – Os custos da primeira quinzena com a redução, estimados em $ 350 milhões, serão arcados pela Petrobras. As despesas dos 15 dias restantes ficarão com a União como compensação para a petrolífera;

– A cada 30 dias, o preço do combustível será ajustado conforme a política de preços da Petrobras e fixado por mais um mês;

– Não haverá reoneração da folha de pagamento do setor de cargas;

– Tabela de frete será reeditada a cada três meses;

– Ações judiciais contrárias ao movimento serão extintas;

– Multas aplicadas aos caminhoneiros em decorrência da paralisação serão negociadas;

– Entidades e governo terão reuniões periódicas;

– Petrobras irá contratar caminhoneiros autônomos como terceirizados para prestação de serviços.

Representantes das entidades de caminhoneiros que participaram até o final da reunião, se comprometeram a “apresentar aos manifestantes” os termos do acordo.

Diumar Bueno, presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), se comprometeu a repassar à categoria o acordo firmado com o governo para definir o fim da greve. “A categoria vai analisar, e o entendimento é deles, se isso foi suficiente para eles ou não”, declarou.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.