quinta, 18 de julho de 2024

Inácio aponta ‘orgia’ na imprensa em distribuição de verba para propaganda

Publicado em 16 maio 2015 - 01:21:17

           

Hernani Corrêa

Na última sessão ordinária da Câmara Municipal de Ourinhos, o vereador Inácio J. B. Filho (PT) mostrou os valores gastos na imprensa em Ourinhos nos últimos anos. Na ocasião, o vereador apresentou o Requerimento nº 1.161/2015, no qual solicitou os valores gastos pela prefeitura com “Serviços Internos” pelas Agências de Publicidade entre os anos de 2011 e 2015.

Inácio denunciou que a prefeitura gastou mais de R$ 2 milhões no ano de 2014 na imprensa de Ourinhos, sendo que a Agência Única Propaganda recebeu mais de R$ 700 mil entre dinheiro da prefeitura e comissões dos veículos de comunicação. O vereador estranhou os valores exorbitantes cobrados pela Agência para serviços de criação de campanhas, logomarcas e outros.

“Essa Agência é um meio de burlar a Lei nº 8.666 (lei das licitações), uma sacanagem com a população de Ourinhos”, segundo o vereador, quando informou que a prefeitura pagou, por exemplo, cerca de R$ 13 mil pela Criação de Tema/Conceito de Campanha do REFIS.

O vereador questionou também qual o critério que a Única utiliza para distribuir a verba, se existe alguma pesquisa de opinião pública. “A TV Tem recebeu em 2014, pouco mais de R$ 76 mil, enquanto que sites como Repórter na Rua mais de R$ 56 mil, Tabloide (R$ 37 mil) e JPovo (R$ 30 mil). Esses dois últimos nem propaganda tem, vivem às custas do dinheiro público”, afirmou.

Inácio chamou a atenção para o ano de 2012 (conforme mostra o quadro nesta página). “Os outros candidatos, sem dinheiro, tiveram que lutar contra esta ‘máquina’. “Se o propósito de uma campanha é atingir o maior número de pessoas, qual o critério utilizado, como por exemplo, quando se investiu praticamente o mesmo valor na TV Tem, que é um canal aberto e na ABN TV, um canal fechado”, questionou.

Outro fato curioso destacado pelo vereador, é o Site Repórter na Rua que em 2012 recebia R$ 2.500,00 por mês e hoje recebe R$ 4.750,00, um aumento de 280 %. “Esta Agência tem dados, tem pesquisas? Ela tem que provar isso aos vereadores, ao Ministério Público, ao Juiz, à Polícia Federal”, exaltou Inácio.

“Ourinhos tem imprensa de credibilidade, mas enquanto tivermos em nossa cidade uma minoria que liga para vereador, prefeito, ex presidente de FAPI querendo extorquir dinheiro… Até quando vamos admitir isso, me questionaram?”

Inácio citou uma enquete realizada pelo Site Ourinhos Notícias que indicou que 91% da população de Ourinhos prefere que a prefeitura gaste esse dinheiro em outras áreas como saúde, educação em vez de desperdiçar com propaganda. “Temos que reduzir em pelo menos 70% os gastos com a imprensa para o próximo ano”, pontuou.

“Quantos requerimentos temos nessa Casa com respostas que não tem dinheiro pra isso, que não tem dinheiro pra aquilo e durante anos as administrações, e isso não é só um vício dessa, vem querendo fazer média na imprensa com o dinheiro da população?”, prosseguiu.

“Faltam remédios nos postos de saúde, faltam médicos, uniformes escolares são entregues atrasados. Vamos fazer uma lei diminuindo os gastos na imprensa, quero ver aqui quem vai ser contra”, desafiou.

“Chega de CTRL+C – CTRL+V, busquem e façam a notícia. Nós pegamos jornais e sites é tudo a mesma coisa”, disse Inácio àqueles veículos de comunicação que publicam somente as notícias produzidas pela assessoria de imprensa da prefeitura, mostrando um deles.

“Nunca levei uma denúncia por escrito ao Ministério Público. O povo de Ourinhos que pagou essa conta espera uma providência das autoridades competentes nesta ação de representação que propusemos eu e mais um colega, baseados em documentos, em números”, pediu Inácio.

“Se quiséssemos fazer politicagem, abriríamos uma CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito – e tenho certeza que seria formada e teria embasamento, pois verificamos mesmo número de nota fiscal e outras irregularidades. Pra mim, isso é um mensalão tucano para a imprensa no ano de 2012”, acusou o vereador.

“Fortunas foram gastas em campanhas publicitárias que não surtiram efeito, como a da Dengue, pra quê continuar gastando?”, questionou.

“Será que eles precisam receber todo mês? Nenhum veículo de comunicação vai quebrar se parar de receber o dinheiro da prefeitura, nós temos exemplos disso, daqueles que vão atrás da notícia, tem seus patrocinadores”, finalizou o vereador.

Em seguida, Silvonei Rodrigues – Esquilo – (PSDC), concordou com Inácio e acredita que precisam ser feitos ajustes diante da crise financeira que estamos passando. “Tenho certeza que a população de Ourinhos não tinha conhecimento até agora dos valores que são pagos à esta Agência, são valores que chamam muito a atenção”, opinou.

Aparecido Luiz – Cido do Sindicato – (PTB), considera que apesar de não ser inconstitucional, está havendo distorções entre os veículos de comunicação da cidade. “Com certeza que, com esses números apresentados, no próximo ano não teremos mais essas distorções que ficaram evidentes aqui”, assegurou.

“Diante das dificuldades que Ourinhos atravessa nos setores básicos como Saúde e Infraestrutura (nossa cidade está perdida nos buracos), não podemos concordar com esses valores altos demais pagos. A falta de dinheiro é gritante, é preciso ‘segurar as rédeas’, manter os pés no chão, economizar”, afirmou Edvaldo Lúcio Abel – Vadinho – (PSDB).

 

Outro lado – A reportagem procurou ouvir a prefeitura através da coordenadoria de comunicação, mas até o fechamento desta edição, o e-mail enviado com os questionamentos não foi respondido. 

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.