quarta, 22 de maio de 2024

Projeto da Secretaria de Assistência Social de Ourinhos é destaque em Brasília

O projeto visa dar assistência, capacitar e tornar multiplicadoras mulheres que vivem em situação de vulnerabilidade, em combate à fome e à pobreza

 

Por Fernando Lima

 

    A Secretária Municipal de Assistência Social de Ourinhos, Viviane Barros e Hamilton Azevedo, estiveram em Brasília no dia 10 de abril, para uma reunião com o Ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, para debater ações de inclusão e desenvolvimento social.

    Viviane apresentou ao ministro diversas ações realizadas em nosso município e, em especial, o projeto de Inclusão Produtiva, que visa dar assistência, capacitar e tornar multiplicadoras mulheres que vivem em situação de vulnerabilidade, em combate à fome e à pobreza.

    O projeto é feito através dos CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), são quatro ao todo na cidade, que desenvolvem oficinas de culinária e padaria. Nestas oficinas, as pessoas que se destacam são encaminhadas para realizar cursos gratuitos na área, através de parcerias com o Sesi, Senac, Senai. 

   “Com a retomada das atividades após a pandemia, começamos a trabalhar a inclusão produtiva, inicialmente sem saber onde iríamos chegar”, relatou Viviane Barros. 

    Estas mulheres então, depois de qualificadas, são contratadas pelos CRAS, para desenvolverem os cursos em cada território atendido, passando seu conhecimento a outras mulheres. Este trabalho possibilita que todas suas integrantes participem de feiras, vendendo e fornecendo seus produtos, além de fornecerem insumos para outros lugares, como por exemplo a horta comunitária, que é fornecedora do restaurante popular da cidade.

    “A inclusão produtiva vem de encontro às nossas oficinas. Nós temos mais de 20 oficinas nas áreas de culinária, artesanato, atividades para as crianças como skate, basquete, capoeira, entre outras. Em todas as oficinas são contratadas pessoas do território, que se tornam multiplicadoras”, conta a secretária. Ela ainda diz que estes projetos chamaram muita atenção do Ministro Wellington Dias, principalmente na área de segurança alimentar, que vai muito além da cesta básica.

    “É muito bom ter o diálogo de volta. Os municípios estão sendo recebidos pelo ministro, com a oportunidade de apresentarmos a realidade local e as dificuldades que enfrentamos”, afirmou Viviane Barros.  “A fome e os problemas estão nos municípios. E agora, finalmente, estão sendo ouvidos”, completou.

   O programa de inclusão produtiva gerou resultados positivos, com a criação de um grupo de mulheres líderes em cada território. “Elas se fortaleceram ao ver que pessoas da comunidade, que antes estavam em situação de vulnerabilidade e passando fome, hoje são professoras de culinária no CRAS”, disse Viviane Barros. Cada CRAS possui uma mulher líder que coordena o grupo e incentiva a participação das demais.

    Solange Alves Figueiredo, 45 anos, começou no CRAS com o projeto da horta comunitária, há 5 anos. Ela conta que começou ajudando a capinar os canteiros e hoje é contratada e líder do projeto, oferecendo muitos cursos na área de culinária.

    Ela conta ao Negocião sua experiência trabalhando tantos anos no CRAS: “É muito gratificante, muitas coisas que eu aprendi e ensinei lá, como ovos de páscoa, pizza, bolachas de nata, hoje são multiplicadas por outras mulheres e nós conseguimos, com o apoio da secretaria de assistência, montar uma feira pra vender nossos produtos”, conta ela que é moradora da CDHU. 

    Solange se diz imensamente feliz em colaborar com outras mulheres que conseguem ter suas fontes de renda através do projeto, que assim como ela, começaram apenas ajudando e hoje podem produzir e comercializar seus produtos.

PreviousNext

Fonte e Imagens: Ministério do Desenvolvimento e Cras.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.