sábado, 22 de junho de 2024

Jardim Ouro Fino reclama de total abandono na região do lago da FAPI

Hernani Corrêa

A reportagem recebeu essa semana reclamação dos moradores do Jardim Ouro Fino, Jardim São Domingos e bairros próximos ao Lago da FAPI. Eles relatam que o número de casos de Dengue na região cresceu muito e atribuem principalmente a água parada que está no local onde o lago foi assoreado para limpeza pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, já há diversos meses.

Um deles lembra a grande quantidade de peixes que foi retirado do local pelos moradores que levavam em sacolas. “Esses peixes foram doados pelos comerciantes locais e foi uma judiação a quantidade morta na época”, lembra. 

Motivo de orgulho dos ourinhenses por ser um dos mais belos cartões postais da cidade, o local sempre foi visitado por turistas de toda a região. Noivos também utilizavam para posar para fotos após o casamento devido à bela paisagem que o local proporcionava. Hoje, é só saudade, lembra um deles, que se recorda quando era todo florido, cheio de árvores, sem mato e muito bem cuidado.

A reportagem esteve no local e constatou que algumas pessoas ainda pescam no local, com varas ou redes, mas segundo eles, hoje não se pesca mais nada. Contornado o recinto do Parque Olavo Ferreira de Sá, onde é realizada anualmente a FAPI – Feira Agropecuária e Industrial, verificamos que moradores jogam restos de materiais de construção e lixo no terreno atrás do recinto.

Também constatamos uma grande erosão no local, causada pelas fortes chuvas que vêm caindo na cidade. Até a cerca existente que delimita o recinto já começou a cair.

 

Outro lado – Diógenes Corrêa Leite, secretário municipal de meio ambiente, informou que, com a grande quantidade de chuvas que caíram e por receberem as águas dos Córregos Furnas e Furninhas, a barragem de um dos lagos não aguentou e esvaziou. Imediatamente a secretaria conseguiu permissão da CETESB para desassoreamento do lago e em parceria com o DAE – Departamento de Água e Esgoto – de Piraju, uma máquina Drag line está limpando o local. Depois vamos reconstruir a barragem, encher novamente o lago e recuperar todo o entorno dele, plantar árvores frutíferas e repovoar os lagos.

O secretário informou ainda que nas APP – Áreas de Preservação Permanente, como é o caso da região dos lagos – a CETESB não permite mexer e que as águas destes locais não são “águas paradas”, portanto não proliferam a dengue. Pediu também que a população denuncie aqueles que estão jogando materiais de construção e outros tipos de lixo, como garrafas pets nestas águas, pois isto sim, pode manter a água parada e ser criadouro do mosquito da dengue.

Quanto ao mato alto e a erosão em volta do recinto, Diógenes informou que as Secretarias de Obras e Serviços Urbanos começam a partir de agora a arrumar o local para a realização da FAPI e deverão cuidar de tudo isso.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.