quinta, 23 de maio de 2024

Mais de 1 tonelada de drogas é incinerada em Marília, resultantes de apreensões em toda nossa região.

Por Fernando Lima

    A Polícia Federal de Marília (PF) realizou a incineração de 1,3 toneladas de drogas nesta quinta (18) resultantes das apreensões do início do ano até agora na região pertencente à Marília, que inclui Ourinhos.

   Grande parte da droga, quase meia tonelada, foi apreendida no avião interceptado pela Força Aérea Brasileira (FAB), que realizou um pouso forçado em Santa Cruz do Rio Pardo.

    As apreensões e a incineração dos entorpecentes são um grande golpe ao tráfico organizado e representam o comprometimento da polícia em combater esse tipo de crime.

Relembre o caso do avião

    Uma aeronave que transportava cocaína foi interceptada pela Força Aérea Brasileira (FAB) em operação com a Polícia Federal (PF) na terça-feira, 9 de abril. O piloto teve que realizar um pouso forçado próximo ao distrito de Caporanga, em Santa Cruz do Rio Pardo (SP). A aeronave ficou destruída e se partiu ao meio e revelou que transportava quase meia tonelada de pasta base de cocaína.

     A FAB, informou que identificou a aeronave suspeita na fronteira do Paraguai com o Brasil, na região do Mato Grosso do Sul, e enviou aeronaves A-29 Super Tucano e o avião radar E-99 da FAB para seguir a aeronave suspeita. Quando entrou no espaço aéreo brasileiro, sem plano de voo, o avião passou a ser monitorado pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) e pela PF, que utilizou o helicóptero da corporação. A FAB determinou o pouso obrigatório da aeronave, em Londrina (PR).

    Os pilotos de defesa seguiram o protocolo das medidas de policiamento do espaço aéreo brasileiro, indagando o piloto que transportava a droga, mas não obtiveram resposta. Com a falta de comunicação, a aeronave foi interceptada pela FAB ainda em solo paranaense, e o piloto fez um pouso forçado para tentar fugir por terra quando sobrevoava a região de Santa Cruz do Rio Pardo (SP), por volta das 11h10.

    O piloto do avião interceptado, de 30 anos, tentou fugir pela mata, mas foi localizado pelo helicóptero da PF e preso. A aeronave estava com Certificado Aeronavegabilidade (CA) suspenso. O CA é documento emitido pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Ainda segundo a FAB, a aeronave de modelo CESSNA-182 estava com a matrícula clonada.

PreviousNext

Imagens: Amanda Sanches e PF.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.