segunda, 17 de junho de 2024

Mais de 6 mil alunos realizaram o ENEM em Ourinhos no último final de semana

Alexandre Q. Mansinho

Nos últimos dias 5 e 6 de novembro o Brasil realizou o Exame Nacional do Ensino Médio – foram mais de 9 milhões de pessoas fazendo uma prova de 10 horas de duração que tem o objetivo de verificar o conhecimento dos candidatos e ser pré-requisito para benefícios sociais como FIES, PROUNI e SISU. Em Ourinhos, mais de 5 mil candidatos de toda a região estiveram reunidos em dois locais de prova, Faculdades Integradas de Ourinhos (FIO) e Faculdade Estácio de Sá de Ourinhos (FAESO), e, assim como no restante do país, encararam a maratona do exame.

Nos dois locais de prova não houve registro de nenhuma ocorrência grave – a tranquilidade foi a marca dos dois dias de provas. “Ano passado foi um pouco tenso, no sábado nós tivemos algumas intercorrências mais sérias. Esse ano a impressão é que os candidatos estão mais maduros, a maioria chegou cedo e não houve problemas”, diz J.F.S., um dos organizadores da prova na FAESO.

Para a família Inouê o ENEM foi um programa para o final de semana, Lílian M. Inouê veio acompanhada pelo marido Tadachi e os filhos Gabriel e Érick. Tadachi Inouê acha importante esse exemplo para os filhos: “estamos aqui para dar apoio, e acabamos também dando um exemplo importante para nossos filhos”. Lílian não vê problemas em estar fazendo uma prova que é tradicionalmente feita por pessoas mais jovens: “estou vendo aqui várias pessoas mais maduras, quero fazer Pedagogia e por isso vou me dedicar para tirar uma boa nota”.

Alguns professores de cursinhos e escolas de Ensino Médio particulares também marcaram presença: “é importante estarmos aqui para poder dar apoio aos nossos alunos, é um exame que leva em conta habilidades e competências reunidas por toda a vida, por isso ter tranquilidade é primordial”, diz a Profa. Luciana Carvalho, que veio para auxiliar seus alunos junto com vários outros colegas. Ana Alice Botelho, aluna do 1º ano do Ensino Médio, veio fazer a prova para se preparar melhor quando estiver no 3º ano: “mesmo não sendo necessário, eu resolvi fazer para poder estar melhor preparada quando for “pra valer” – mas mesmo assim eu estou nervosa”, confessa.

Álvaro Trindade e Jean David dos Santos optaram por vir bem mais cedo para não correr riscos de chegar atrasados no ENEM: “estamos tranquilos aqui, não podemos deixar para a última hora”. De fato, especialistas dizem que o estresse é o pior inimigo de quem vai fazer uma prova longa como o ENEM.

 

Gabriela Alvin D’ávila, Bárbara Oliveira Caldas e Maria Olívia Romano também optaram por vir bem mais cedo: “quando se chega em cima da hora faz fila para poder estacionar ou cria congestionamento na estrada – assim fica bem mais fácil”, diz Gabriela. Quando questionadas sobre a importância do exame para a definição da profissão, as três foram unânimes em dizer que essa prova pode ser o primeiro passo na decisão profissional para toda a vida.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.