domingo, 21 de julho de 2024

Messias e Barbosa são condenados à prisão por desvio de dinheiro público

Publicado em 06 nov 2015 - 05:03:16

           

José Luiz Martins

Os ex-vereadores Oswaldo Barbosa (PSDB) e José Claudinei Messias (PMDB), investigados pelo Ministério Público Estadual (MPE) por denúncias de prática de irregularidades no período em que eram presidentes da Câmara entre 2006 e 2008, foram condenados pelo Tribunal de Justiça de São Paulo por improbidade administrativa.

Desde 2011 os ex-parlamentares e o ex-funcionário do legislativo José Claudio Ribeiro vem respondendo na justiça pelo suposto esquema que envolveria ao menos uma dezena de empresas fornecedoras de notas fiscais frias em nome do Legislativo de Ourinhos. Juntos, Barbosa e Messias seriam responsáveis por saques nos caixas da agência da Caixa Econômica Federal que somam mais de R$ 7 milhões indevidamente.

Informações extra oficiais dão conta de que o julgamento aconteceu na tarde de ontem (quinta-feira, 05/11) e a sentença condenando os três envolvidos por mais de 3 anos de detenção deverá ser publicada no Diário da Justiça até a próxima quarta-feira, 11/11.

Messias e Barbosa teriam emitido notas fiscais frias de compras fictícias de equipamentos sem licitação pública em operações financeiras de lavagem de dinheiro, com desvios de mais de R$ 7 milhões. O Ministério Público ajuizou ação civil pública na qual eles teriam utilizado recursos financeiros da Câmara como se a instituição fosse um banco particular. Para isso contaram com ajuda do contador da Câmara à época, José Cláudio Ribeiro, também denunciado por peculato.

Segundo a denúncia do MP houve apropriação indébita, em proveito próprio e alheio, de dinheiro público. Messias é Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico do governo Belkis e presidente do PMDB de Ourinhos. O NovoNegocião continua apurando os fatos e trará mais informações no site do Jornal. Fique de olho: www.negociao.com.br.

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.