sábado, 15 de junho de 2024

Morreu Arnaldo Constante, um dos grandes baluartes da Fapi

Rose Pimentel Mader

O empresário Arnaldo Constante, 70 anos, faleceu na tarde do sábado, 14, na Santa Casa de Misericórdia, vítima de um infarto e foi sepultado no domingo, no Cemitério de Ourinhos num clima de grande comoção. Um dos decanos da Fapi, uma das mais importantes exposições do País, Arnaldo há mais de três décadas era o responsável pela comercialização dos espaços da Feira de Ourinhos e também de diversas exposições e festas de peão da região Centro Oeste Paulista e do Paraná.

No adeus ao empresário, a família Constante recebeu expressiva solidariedade da comunidade ourinhense e uma emocionante demonstração de carinho de amigos de várias regiões do Brasil com os quais Arnaldo construiu uma sólida relação de amizade e negócios. 

Arnaldo deixa a esposa a empresária Esmeralda Constante, os filhos Marília Ataide Constante (bacharel em Direito e perito judicial) e Arnaldo Constante Filho, Dindo (médico veterinário) de seu casamento com a professora Maria Neusa Ataíde, a nora Leila Rodrigues Moraes Constante (fisioterapeuta), o genro Frank Charles Waldrin Andrade (empresário) e as netas Sophia, de 11 anos, e Fernanda, de 5 anos. 

Formado em Artes, Arnaldo ao longo da vida exerceu diversas atividades inclusive de produtor rural e há muitos anos se dedica integralmente à sua empresa uma das mais conceituadas e respeitadas da região na área de promoção de eventos.

Celso Zanuto – “Em homenagem à sua memória, vamos honrar todos os compromissos por ele assumidos”

A morte de Arnaldo Constante consternou familiares, amigos, autoridades, lideranças da comunidade ourinhense e especialmente da Fapi em cujo evento teria este ano uma importante e decisiva participação. Como fazia há décadas, o empresário já estava com os trabalhos de comercialização dos espaços bem adiantados e com muitos contratos acertados com expositores do comércio e da indústria, inclusive com a grade de shows artísticos praticamente definida, compromissos que havia assumido com a AIOR (Associação das Indústrias de Ourinhos e Região), entidade promotora da Fapi e o G Fapi, grupo executivo que realiza o evento.

O industrial Celso Zanuto, um dos principais executivos do GFapi, lamentou profundamente a morte de Arnaldo e destacou que além da perda de um ilustre cidadão ourinhense, Arnaldo fará muita falta à Ourinhos e região, pelo know-how que possuía em realizar eventos e exposições. “Arnaldo Constante era a peça chave da Fapi. Tinha um profundo conhecimento sobre o evento em todas as áreas e esteve sempre presente e atuante em todas as edições da Feira nos últimos 30 anos, o que lhe conferia uma vasta experiência e credibilidade absoluta. Foi, sem dúvida, uma grande perda para nossa cidade e para região”, afirmou

Celso enfatizou ainda a disposição e o desejo do presidente da AIOR Edenilson Natale e todos os integrantes do GFapi: “Vamos honrar todos os compromissos assumidos pelo Arnaldo em respeito à sua memória”, afirmou.

“Arnaldo já havia formalizado praticamente mais de 50 contratos, isso pelos contatos que tivemos hoje (quarta-feira), mas havia muitos outros compromissos já assumidos por ele, como a grade de shows que estava praticamente acertada, a venda dos camarotes que este ano também seria de sua responsabilidade. Eram grandes tarefas e atividades que agora teremos que assumir, mas temos conhecimento de que sua esposa Esmeralda, grande companheira e parceira do marido em sua empresa, certamente movida pelo mesmo sentimento, se prontificou a ajudar em tudo que for necessário para que o valioso trabalho realizado por Arnaldo para a edição da Fapi 2015 tenha pleno êxito”, afirmou Celso Zanuto.

Brigadeiro: “Arnaldo tem uma bela história de trabalho e dedicação com a Fapi”

O empresário Eduardo Luiz Bicudo Ferraro, o Brigadeiro, presidente do Sindicato Rural que dirigiu a Fapi durante longos anos falou com muita emoção sobre a perda do grande amigo, companheiro e parceiro de Fapi. “Nós convivemos por mais de 30 anos, na vida e na Fapi. Arnaldo tem uma bela história de amor, trabalho e dedicação com a Feira”. 

Arnaldo, irmão do saudoso Roberto Constante que também presidiu a Fapi durante muitos anos, começou a trabalhar na Feira há cerca de 30 anos, conta Brigadeiro.

“Na época em que Arnaldo começou a atuar na Fapi eu organizava as cavalgadas e ajudava também na realização do evento. Aos poucos Arnaldo foi ampliando a sua participação, desenvolvendo sempre um trabalho sério e dinâmico na área de comercialização dos espaços da Feira, e assim foi construindo a sua credibilidade junto aos comerciantes das mais diversas regiões do Brasil que vinham para a Fapi na certeza de que sempre poderiam contar com o apoio e a atuação competente de Arnaldo. Ele era muito estimado e respeitado por todos que faziam a Fapi, pelos expositores, pelas lideranças, nos dávamos muito bem, não havia desentendimentos, só a força mesmo do trabalho e da nossa união. Arnaldo, com o seu jeito sempre carinhoso e seu eterno sorriso na face fará muita falta a todos nós.

Foi um grande companheiro, um parceiro de luta mesmo, excelente pai, marido e amigo de todos. E deixa, assim como o saudoso Fernando Quagliato, uma imensa lacuna em nossos corações e em nossa comunidade. Ficam as lembranças de uma convivência maravilhosa, tanto na realização da Fapi que ele tanto amava como nas nossas vidas”.

 

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.