quarta, 12 de junho de 2024

Mudança do COPOM de Ourinhos para Bauru causa demora de até 2 horas no envio de viaturas para atender ocorrências

Alexandre Mansinho

 

Nos últimos anos foram realizadas alterações na estrutura tecnológica e administrativa do Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM) da nossa região – tais medidas incluíram a centralização de todos os atendimentos, de um conjunto de 89 cidades, para o COPOM de Bauru/SP. Embora a medida tenha sido anunciada pelo governo Alckmin como um avanço, visto que o prédio onde funciona o COPOM Bauru é referência e possui elementos tecnológicos de última geração como os usados em outros países, na prática as pessoas tem reclamado muito da qualidade do atendimento e do tempo de resposta para as ocorrências.

  “Transformaram o atendimento do COPOM em um call center”, critica o vereador ourinhense Cícero de Aquino (Cícero Investigador): “hoje o COPOM Bauru atende a mais de 2 milhões de pessoas e cobre uma área de 32 mil quilômetros quadrados (…) tais números retratam a qualidade do serviço que está sendo prestado, há demora no encaminhamento das viaturas, fato que resulta no agravamento das ocorrências policiais”, critica.

Ainda segundo o vereador Cícero, quando o atendente conhece a região na qual presta o atendimento operacional, os tempos de identificação da ocorrência e despacho da guarnição é muito menor: “quando alguém liga para o 190, geralmente está emocionalmente abalado, o atendente pergunta dados como nome da rua, número da casa; tais dados são, em grande parte das vezes, impossíveis de serem informados porque a vítima pode não saber (…) o que temos hoje, com a atual estrutura do serviço do COPOM, é um risco à segurança da população de Ourinhos”, declara.

 “Precisei de um atendimento do 190, estava próximo ao CSU da Barra Funda, eu não sabia o endereço, mas a ocorrência era em frente ao portão do CSU; tais dados não foram suficientes para que eu pudesse ser atendido, o policial que atendeu a ligação do 190 disse que só poderia enviar a viatura se eu desse o endereço completo”, diz J.M.S., comerciante.

Tais situações estão se tornando comum e causando um imenso desconforto para quem precisa dos serviços da Polícia Militar. “Precisamos do atendimento de uma ocorrência de roubo aqui no posto de combustíveis, só depois de mais de 2 horas foi que chegou a viatura (…) o policial acabou confessando que, depois da mudança da sede do COPOM, o tempo de atendimento das ocorrências aumentou muito”, diz Dino César Souza da Silva, gerente de um posto de combustíveis em Ourinhos. 

“Eu acredito que essa medida não tem volta, o que se deve é procurar melhorar o atendimento com melhor treinamento dos atendentes e implementação de tecnologias”, diz o vereador Mário Sérgio Pazianotto, o Sargento Sérgio: “não foi por vontade do comando de Ourinhos que o COPOM foi para Bauru, todos estão descontentes com o resultado (…) a Ten. Cel. Cenise está sensível a essa situação, mas, em um primeiro momento, a ideia de termos novamente a sede do COPOM em nossa cidade é algo impraticável”, afirma.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.