quinta, 23 de maio de 2024

Munícipe pede atenção para problema grave de águas de chuva que caem da Raposo Tavares

Ourinhenses pedem que sejam tomadas as devidas providências antes que haja perdas

 

Marcília Estefani

 

A moradora da Rua Conceição Damasceno, antiga Rua Praça das Bandeiras, na Vila Brasil em Ourinhos, gravou um vídeo na tarde da terça-feira, 9 de março, durante a forte chuva que caiu na cidade.

Juliana Graciano mostra a enxurrada formada pelas águas que caem da Rua Duque de Caxias e Rodovia Raposo Tavares, e são jogadas na rua de sua casa. Segundo a reclamante, isto acontece há anos, e o risco de a enxurrada invadir as residências é grande.

 

Segundo a reclamante, toda a água de chuva que desce da Rua Duque de Caxias e Rodovia caem na Rua Conceição Damasceno e desce pelo bairro

 

“Cadê as bocas de lobo da Raposo Tavares, olha que absurdo isso, essa água mais um pouquinho que chove ela entra dentro de casa e toda vez que chove é isso, aí a rua fica cheia de terra, e é preciso chamar um caminhão pipa prá lavar a rua”, fala a munícipe.

 

A enxurrada desce com força e falta pouco para entrar nas residências

 

Juliana cobra da atual administração alguma atitude que possa solucionar o problema antes que aconteça o pior, antes que haja perdas. “Porque isso aqui não é de hoje não, é de anos, e até agora ninguém fez nada, toda a água da Raposo Tavares e Duque de Caxias vem aqui, vamos fazer alguma coisa enquanto é tempo?

Outros munícipes que moram nas imediações também se manifestaram sobre o assunto. É o caso de Sandra Ribeiro, moradora da rua Jornalista Heron Domingues, que para impedir a água de entrar em sua casa precisou mexer na estrutura do imóvel.

 

“Essa água chega na minha casa, só não entra porque subimos a grade e fizemos degrau”

 

Dona Ione Campos, residente na Rua José Oliveira da Silva, contou que já sofreu muito com o problema e em outras épocas já teve a casa invadida pela lama, mas que hoje, por conta de as bocas de lobo do local terem sido limpas, a água escoou mais rápido.

Uma loja de materiais de construção localizada no bairro, teve as instalações invadidas pela lama que molhou produtos que estavam no chão. O proprietário mandou construir uma mureta na frente para impedir novas ocorrências.

 

Esquina da loja de material de construção do bairro

 

REPERCUSSÃO NA CÂMARA MUNICIPAL – O fato foi mencionado também na Câmara Municipal, na Sessão da segunda-feira, 15, pelo Vereador Anísio Felicetti, através do Requerimento 429/21, que requer informações sobre a possibilidade de se adotar providências, com urgência, para realizar melhorias na captação das águas torrenciais oriundas da Rodovia Raposo Tavares, que vêm inundando as residências da Vila Brasil, Jardim Josefina e bairros adjacentes.

 

Residência da  Rua Massaishi Nishiama onde a água entrou

 

Segundo o edil, ele se propõe a buscar informações com o Secretário de Infraestrutura e Obras, Kléber Rebouças, com o prefeito, com DER, para averiguar o que compete a cada órgão, para que o problema dos munícipes seja resolvido.

 

Rua Ulisses Guimarães, onde a água subiu na calçada e ultrapassou a grade

 

OUTRO LADO – A reportagem questionou a prefeitura a respeito do problema, mas a mesma ainda não se manifestou.

Através de email, consultamos também o O DER – Departamento de Estradas e Rodagem, que por sua vez, informou através de nota, que vai realizar nos próximos dias uma vistoria no trecho citado. “Na ocasião, engenheiros e outros técnicos do Departamento vão analisar se o problema é responsabilidade do DER, para que sejam tomadas as medidas cabíveis.”

 

Veja na íntegra vídeo da moradora da Vila Brasil:

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.