sexta, 08 de dezembro de 2023

Obras das casas populares do Recanto dos Pássaros III estão paralisadas novamente

Futuros mutuários do Programa Minha Casa, Minha Vida no loteamento Recanto dos Passáros III vivem a interminável expectativa da entrega dos imóveis que começaram a ser construídos em 2013. O prazo para entrega das 448 unidades habitacionais era até janeiro de 2016, o sorteio entre os mais de 5 mil inscritos no programa ocorreu em dezembro de 2015, no entanto no mesmo mês a construção das casas ainda não havia terminado. Para piorar, a falta de pagamento de salários fez os funcionários da Construtora RG 3 Empreendimentos paralisarem as obras que só seriam retomadas após três meses gerando muitas reclamações. Por conta do abandono algumas unidades sofreram depredações e roubos.

Mas ao que tudo indica a finalização do empreendimento imobiliário financiado pelo Governo Federal visando atender famílias de baixa renda emperrou novamente. Somente funcionários administrativos têm sido vistos no local, algumas pessoas que foram sorteadas e aguardam a finalização das “casinhas”, buscaram informações no NOVO NEGOCIÃO sobre a paralização da construção; e principalmente quando serão entregues os imóveis já que se passaram mais três meses e o novo prazo anunciado era até o final de junho.

A contratação da construtora foi feita pela agência do Banco do Brasil na cidade de Campinas, a instituição financeira também é responsável pelo gerenciamento e fiscalização de todo empreendimento. Informações colhidas pela reportagem dão conta de que as obras estão paralisadas há 20 dias. A construtora RG3 retomou as atividades no final de março com cerca de 40 trabalhadores terceirizando mão de obra junto a uma empreiteira, porém, atrasos nas medições e nos repasses de recursos pelo Banco do Brasil culminaram com a paralização das obras novamente.

Procurada pela reportagem a Prefeitura informou que todas as competências da administração municipal junto ao programa habitacional foram cumpridas e limita-se a realização das inscrições, sorteio, cadastramento das famílias no Cadastro Único Federal, encaminhamento das famílias para análise junto ao sistema da Caixa Econômica Federal, organização e envio dos dossiês ao entidade financeira Banco do Brasil.

A reportagem esteve no local e constatou que boa parte das edificações estão praticamente prontas e o restante estão em fase de acabamento. Em contato com a reportagem a Secretaria Municipal de Urbanismo informou que, embora o que esteja acontecendo não seja de responsabilidade da prefeitura, a administração fez gestões junto a RG3 sobre a possibilidade de entrega de parte dos imóveis. A construtora chegou a postular autorização do Ministério das Cidades para entrega parcial, mas o pedido foi negado. De acordo com informações a prefeitura agora está oficiando o Banco do Brasil solicitando informações sobre os problemas inerentes a continuidade das obras e previsão da finalização do empreendimento.

 

A reportagem do NOVO NEGOCIÃO tentou contato com a construtora RG3, mas até o fechamento desta edição não houve retorno.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.