sábado, 20 de julho de 2024

População reage com violência ao homem que beijou bebê no colo da mãe – Matéria completa

Publicado em 27 nov 2017 - 12:29:28

           

Alexandre Mansinho

Na última segunda-feira, dia 20 de novembro, perto das 16h, a Polícia Militar foi chamada para atender um caso incomum para a cidade: Ivo de Paula, 45 anos, estava sendo espancado por um grupo de aproximadamente oito pessoas e sob os olhares curiosos de outras tantas. O fato foi filmado e as imagens ganharam o mundo nas principais redes de televisão e portais de notícias.

As primeiras informações, que foram veiculadas junto com o vídeo do espancamento, eram de que o homem havia tentado abusar de um bebê e, movidos pela indignação, populares abordaram e agrediram o suposto abusador.

Depois de ser retirado do supermercado, o homem, cambaleante, atravessou a Rodovia Raposo Tavares e foi contido pelo irmão da dona de casa. Ele gritou para o homem “não importunar mais a criança”.

Um grupo de oito pessoas achou que ele tivesse abusado da criança e passou a agredi-lo com tapas, socos e chutes. Ivo, por estar muito bêbado, ficou esticado no chão, sem esboçar nenhuma reação.

A Polícia Militar foi acionada e impediu que houvesse ali um linchamento, e levou todos os envolvidos para a Delegacia da Mulher para os devidos esclarecimentos dos fatos.

Em entrevista para o Negocião, Dra. Ana Rute explica os pormenores dos casos: “houve dois fatos distintos, o primeiro foi uma importunação ofensiva ao pudor, que foi registrada e na qual estamos já concluindo os trabalhos policiais para poder enviar à justiça – o acusado perseguiu e importunou a mãe com um bebê no colo (…) em segundo lugar houve um espancamento, cometido por diversas pessoas e que, para que haja um processo, precisamos que a vítima faça a representação, em um primeiro momento, a vítima do espancamento não quis fazer nenhuma denúncia”.

A palavra da mãe – O Jornal Negocião conversou com a mãe do bebê e segundo ela o acusado, Ivo, a perseguiu e importunou bastante antes de ser colocado pra fora do mercado: “ele quis pegar o meu bebê, ele também a beijou duas vezes e ficou me perseguindo no mercado – eu fiquei com medo, mas, em nenhum momento eu quis que batessem nele (…) qualquer mãe faria a mesma coisa que eu fiz”. Sobre os desdobramentos do caso, a mãe está com muito medo e se sentindo ameaçada: “as pessoas estão falando muitas mentiras, estão me xingando e fazendo ameaças pelas redes sociais – eu só quero paz, o que eu fiz foi para proteger minha filha, mas não pedi para ninguém bater nele…”.

Sobre o acusado – Segundo familiares que estiveram presentes na CPJ na segunda-feira, Ivo de Paula tem problemas mentais e nem mesmo o irmão sabe onde ele mora. Ao ser ouvido, Ivo disse que beijou a bebê porque a achou bonita. Ele não quis fazer exame de corpo de delito e dificilmente conseguirá reconhecer os agressores porque estava muito bêbado.

Ainda segundo a Dra. Ana Rute, “convém ressaltar que todo e qualquer processo deve ser apresentado às autoridades policiais e depois levado ao juiz, é apenas o juiz que tem o dever e o direito de impor as penas, com base exclusivamente na lei (…) ninguém deve querer fazer justiça com as próprias mãos, isso é, além de ilegal e criminoso, uma coisa que só vai agravar o problema”.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.