segunda, 15 de abril de 2024

Prefeitura confirma fechamento do Ambulatório Pós-Pandemia em Ourinhos e orienta usuários

A prefeitura ressalta que os pacientes que necessitarem de acompanhamento multidisciplinar dos quais estão em tratamento na Central Pós-Pandemia, serão encaminhados à Rede Básica de Saúde para continuidade na conduta médica

 

Da redação

 

Após matéria publicada pelo Negocião, relatando o fechamento da unidade especialista em atendimento de sequelas deixadas em pacientes pela Covid-19, fato denunciado por usuários, a prefeitura anunciou oficialmente o encerramento das atividades do Ambulatório Pós-Pandemia.

Ourinhos foi uma das poucas cidades do Brasil a implantar e manter um Hospital de Campanha unicamente para atendimento de casos de covid-19 e após fechar a unidade, com a queda drástica de casos de covid devido à vacinação, criou o Ambulatório Pós-Covid, uma iniciativa praticamente inédita, que contribuiu no tratamento das sequelas dos infectados pela doença, bem como na reabilitação e acompanhamento para os pacientes pós infecção.

Contudo, a administração afirma que passados todos esses meses de enfrentamento, a Prefeitura verificou a ausência de demanda nas Unidades Básicas de Saúde de Ourinhos para atendimento Pós-Covid, inclusive conforme relatório extraído do Sistema Nacional de Regulação, onde se observa que das 690 vagas disponibilizadas para o atendimento pós-Covid no mês de outubro desse ano, observou-se uma baixa demanda.

Com isso, o Sistema de Saúde Municipal espera poder absorver tal serviço, haja vista que o maior volume de atendimento realizado no Ambulatório Pós-Covid foi o serviço de fisioterapia respiratória e motora, o qual será absorvido pelo Centro de Saúde I, que conta com três horários de atendimentos e duas clínicas conveniadas que realizam atualmente esse serviço no município.

Importante ressaltar que os pacientes que necessitarem de acompanhamento multidisciplinar dos quais estão em tratamento na Central Pós-Pandemia, serão encaminhados à Rede Básica de Saúde para continuidade na conduta médica.

Em se tratando dos pacientes que procuram o serviço de livre demanda para síndromes respiratórias, o município conta com três unidades de pronto atendimento, das quais irão absorver a demanda acolhida pelo serviço.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.