quinta, 13 de junho de 2024

Prefeitura pode ter desviado verba doada ao Asilo dos Velhinhos

Hernani Corrêa

A sessão de segunda-feira, 17, da Câmara Municipal de Ourinhos foi marcada por um fato inusitado. Utilizando a tribuna, Irmã Cristiane Ferraz, responsável pela contabilidade do Lar Santa Tereza de Jornet (Asilo dos Velhinhos) em Ourinhos, clamou por ajuda da população e intercessão do Legislativo.

Segundo ela, o Lar atravessa sérias dificuldades financeiras por não estar recebendo há quatro meses as verbas de direito dos governos federal e estadual e recebem apenas R$ 1.600 do município por todo o trabalho que realizam.

Explicou que parte dos idosos nem aposentadoria tem, muitos os filhos fazem empréstimos que vêm descontado em seus holerites, que ficam somente com 70% do salários deles por causa do Estatuto do Idoso. “Temos 32 funcionários e quem consegue com apenas R$ 15,00 por dia, tomar café, almoçar, jantar, ter atendimento de enfermagem, fisioterapeuta, nutricionista e médico?”, questiona a Irmã.

Campanha do Telhado – O Lar Santa Tereza está fazendo uma campanha para reformar o telhado que se encontra em situação precária e pede a sensibilização da população. “Cada vez que chove o Lar parece as cataratas de Foz do Iguaçu, molha as camas dos velhinhos, molha a sala, isso é um perigo, gente”, exclama.

Segundo ela, as pessoas pensam que “as irmãs são ricas” porque entram lá e encontram tudo limpinho, organizado e por isso, não fazem doações. “Engano, temos que comprar tudo porque não tem uma alma que tem a coragem de dar uma cesta básica aos velhinhos e gastamos R$ 9 mil só em alimentação”, continuou. “O nosso patrimônio são três hábitos brancos, três hábitos pretos, nosso livro de reza e um terço, que é tudo o que levamos quando somos transferidas de um lugar para outro”, esclarece.

“Tive que pedir esmolas para comprar o almoço dos velhinhos no Dia dos Pais, eles queriam comer pernil assado e tomar uma cervejinha gelada, olha que judiação. Saí de porta em porta, não tenho vergonha e consegui o dinheiro para satisfazer a vontade deles, porque não peço pra mim e sim pra eles. E eles passaram o dia felizes porque ninguém foi lá nem para dar o abraço naquele pai”, bradou.

E pediu que a Câmara investigasse o porquê do atraso das verbas. “Apurem essa situação, porque não estão repassando esse dinheiro pra gente”. Diante da repercussão do fato, alguns já se mobilizaram, fizeram doações e estão programando eventos beneficentes ao Lar.

Possível desvio de dinheiro – Entrevistamos com exclusividade Irmã Cristiane que contou que havia sido feita uma doação de R$ 50 mil por um industrial da cidade no início do ano para reforma do telhado. Que o dinheiro seria repassado pela prefeitura de Ourinhos, por ser dedução de imposto de renda, mas que não havia recebido até agora. “Fomos levar uns quitutes a este benfeitor no Dia dos Pais para agradecer, pois ele colabora mensalmente com o Lar. Nossa surpresa foi quando ele disse que pensou que nós tínhamos ido para agradecer os R$ 50 mil e nós informamos que ainda não havíamos recebido”, disse. Foi quando começou a desconfiar que algo estranho estava acontecendo.

Diante também dos atrasos nos pagamentos federais e estaduais, as Irmãos procuraram a promotoria pública que informou que as verbas não estavam atrasadas e poderiam estar sendo desviadas dentro da prefeitura para outros fins. Imediatamente, a promotoria notificou a prefeita Belkis Fernandes para que fizesse os repasses ao Lar em 10 dias.

Outro lado – A prefeitura, através da secretária municipal de assistência social, Maria Aparecida Finotti Oliveira, em entrevista coletiva na quarta-feira, 19, informou que o dinheiro doado não havia sido repassado porque o projeto da reforma do telhado não foi aprovado, mas que seria depositado parte deste dinheiro (R$ 36 mil) entre quarta (19) e quinta-feira (20), em socorro ao Lar que precisava pagar seus funcionários.

Curiosamente, na tarde de quarta-feira, a prefeitura não depositou os R$ 36 mil prometidos, mas R$ 50 mil para o Lar Santa Tereza de Jornet. A entidade considera este dinheiro referente à doação feita pelo benfeitor, conforme consta em sua página nas redes sociais, mas ainda tem mais a receber.

“Conseguiremos colocar os salários dos funcionários em dia, pagar a conta de luz de mais de R$ 5 mil e pagar outras despesas, mas ainda temos que receber os valores repassados pelos governos federal e estadual, entre abril e julho”, informou Irmã Cristiane.

Segundo planilha de pagamentos feitos ao Lar em 2015 apresentada pela Secretaria de Assistência Social durante a coletiva, a prefeitura ainda deve pouco mais de R$ 47 mil ao Lar Santa Tereza de Jornet.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.