quarta, 17 de julho de 2024

Professora ourinhense é uma das 50 mil voluntárias das Olimpíadas do Rio

Publicado em 24 ago 2016 - 12:36:16

           

A professora da EMEI Judith Leonis Villas Boas da cidade de Ourinhos- SP, Jocimeire Christoni de Almeida, foi uma das 50 mil voluntárias que abrilhantaram as Olimpíadas do Rio 2016. Jocimeire conversou com exclusividade com a equipe de reportagem e falou da emoção de representar a cidade e de fazer parte desse acontecimento realizado com muito amor, respeito e dedicação pelos brasileiros.

Tudo teve início em 2014 quando ela era aluna do curso de Direto da Faculdade Estácio de Sá e recebeu o convite para participar como voluntária. “Aceitei, pois sempre fui apaixonada por esportes, fui jogadora de vôlei em nossa cidade quando havia os campeonatos entre as escolas. Me cadastrei com o código que recebi e passei a fazer dinâmicas para saber se eu tinha um perfil de voluntária. Passei nos testes de inglês, espanhol e francês. E em 2015 fui até São Paulo e recebi a informação que eu havia sido selecionada.  Naquele momento meu sonho foi realizado”, contou a professora.

Após ter seu perfil aceito pela comissão, ela ganhou um curso online de inglês e passou a realizar vários cursos de diversidades, inclusão, atendimento ao público e filosofia de jogos. E após longos meses de preparação chegou o tão sonhado dia. Jocimeire foi para o Rio de Janeiro com destino à Vila Olímpica realizar seu sonho. Jocimeire desenvolveu seu trabalho na Marina da Glória – Copacabana, junto ao esporte de Velas, que deu medalha de Ouro para o Brasil. “Lá eu exerci várias funções: controle de acesso a imprensa, serviços de informações, controle dos atletas, identificação das crianças, acolhimento à família olímpica e aos expectadores. Trabalho que desenvolvi com muito carinho, amor e alegria, pois nosso primeiro contato com as pessoas era um sorriso”, explicou a voluntária.

Durante o bate papo, Jocimeire se emocionou ao lembrar do momento em que cantou o Hino Nacional com as meninas de Ouro, Martine e a Kahena. “Nós ficamos sabendo no último minuto que as brasileiras eram favoritas a medalha de ouro. Naquele dia tudo estava favorável para elas, o vento estava a nosso favor. Elas foram junto aos demais atletas e nós ficamos ali sem saber o que estava acontecendo, sem saber se estávamos na frente ou não, quando de repente soube que elas tinham sido ouro.  Nossa, a emoção foi tamanha chorei e sorri junto com elas, pois eu vivi tudo aquilo junto delas e dos seus familiares, inclusive ver Lars Grael, referência no esporte, e cantar o Hino Nacional”, relembrou emocionada.

A Olimpíada do Rio deixou saudades, mas no próximo mês o Brasil vai sediar os Jogos Paralímpicos e sabe quem também vai estar lá? A nossa professora Jocimeire. “Assim que voltei para Ourinhos, já recebi o convite para ser voluntária nos Jogos Paralímpicos, me senti muito honrada com esse convite, pois é sinal que consegui cumprir todas as minhas funções nas Olimpíadas”, disse Jocimeire. Os jogos representam a união de todos em torno de um ideal comum. Essa união catalisadora de nossa paixão pela diversidade. Paixão que contagia, atrai e respeita as diferenças, espírito acolhedor, movido por uma energia positiva, mistura harmoniosa que enfatiza que somos todos partes de um único mundo.

E assim, todos vão continuar sendo “Todos Olímpicos”, afinal essa energia positiva e espírito de competividade é que contagia a todos.  “Tudo o que eu vivi vou carregar comigo para o resto da vida, me sinto muito feliz e realizada. Agradeço a Deus, família amigos, gestores, alunos e pais de alunos”, concluiu Jocimeire Christoni.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.