segunda, 15 de abril de 2024

Professoras são investigadas pela suspeita de uso de diplomas falsos em Pirajuí

Denúncia foi feita pela Câmara de Vereadores da cidade ao Ministério Público, que pediu investigação da Polícia Civil. Prefeitura informou que abriu sindicância para apurar o caso.

 

Da redação

 

A Polícia Civil abriu uma investigação contra duas servidoras públicas municipais de Pirajuí (SP). Elas são suspeitas de usarem diplomas falsos para assumirem cargos de diretoras de escolas municipais da cidade, com salários de cerca de R$ 7 mil.

O caso foi denunciado pela Câmara de Vereadores ao Ministério Público. Segundo a denúncia, feita por um morador, as duas mulheres, que são professoras de carreira, teriam apresentado diplomas falsos de pedagogia para poderem assumir os cargos.

O MP apurou e confirmou que os diplomas eram falsos e pediu a investigação por parte da Polícia Civil pela suspeita de crime de uso de documento falso. O inquérito, que corre em segredo de Justiça, inicialmente deve ser concluído em 30 dias, mas pode ter o prazo prorrogado.

A defesa de uma das investigadas informou que sua cliente foi vítima de um golpe e acreditava realmente ter concluído, em modalidade EAD, a faculdade de pedagogia. Ela teria feito as aulas online e concluído o curso, recebendo o diploma pelos Correios.

Porém, ao descobrir que o documento era falso, ela iniciou o curso em uma outra faculdade e deve concluí-lo no fim deste ano. Disse também que a cliente nunca agiu de má-fé e que já apresentou a defesa dela na sindicância aberta pela prefeitura.

Já outra investigada, que está afastada da direção da escola por outros motivos, não respondeu aos contatos feitos pela equipe de reportagem.

Em nota, a prefeitura de Pirajuí informou que está apurando a veracidade das denúncias e que “assim que tomou conhecimento por parte da Secretaria Municipal de Educação, tomou as providências cabíveis e que as mesmas estão sendo adotadas com celeridade, mediante orientação técnica do setor”, explica o texto.

Ainda segundo a prefeitura, foi instaurada uma sindicância interna para apurar os fatos, conforme prevê a legislação municipal.
(Fonte: G1/TV TEM)

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.