quarta, 17 de julho de 2024

Projeto Angra Doce anunciou novidades no seminário de Piraju

Publicado em 30 jun 2017 - 05:42:50

           

Da redação

Aconteceu na última sexta-feira, 23, no Centro de Convenções “Dr. Richardson Louzada”, em Piraju, o 8o Seminário Técnico do Projeto Angra Doce. Baseado no projeto de lei federal de autoria do deputado Capitão Augusto (PR), que institui no sudoeste paulista e norte paranaense uma “área especial de interesse turístico”, o Projeto Angra Doce avança em várias frentes rumo a sua consolidação não apenas como legislação mas como alternativa de geração de negócios, emprego e renda para as duas regiões.

Além do próprio Capitão Augusto, que coordenou o seminário com apoio de sua assessoria, da Prefeitura e Câmara de Piraju, falaram o ex-prefeito de Brotas (SP) de 4 mandatos, Du Barreto, responsável político pela transformação econômica daquele município pela via do turismo desde 1993, e o deputado estadual João Caramez (PSDB), que coordenou o processo que levou à normatização das estâncias turísticas e, principalmente, idealizou o conceito dos Municípios de Interesse Turístico (MITs).

Agora, são 70 cidades com menos de 200 mil habitantes no Estado de São Paulo com título de Estância Turística e serão, até o final do ano, 140 cidades declaradas MITs. Segundo Caramez, haverá um ranqueamento parecido com o Campeonato Brasileiro de Futebol, através do qual a cada 3 anos 3 municípios ascenderão à categoria de Estância, 3 descenderão a MIT e outros 3 perderão o selo de MIT para que novas cidades pretendentes assumam essas posições.

Cada MIT receberá anualmente cerca de R$ 600 mil do governo estadual para investir exclusivamente em sua estruturação para o turismo. “Tudo começou quando fui chefe da Casa Civil do governador Mário Covas, que me pediu que tratasse desse assunto, já que a outorga de Estância ocorria somente pela via política, com deputados indicando quais municípios se tornariam uma estância. Como eu dizia, eram ‘instâncias políticas’ e não estâncias turísticas”, brincou o deputado de 5 mandatos que foi prefeito também de Itapevi, na Grande São Paulo.

Tanto o ex-prefeito Du Barreto, que se dedica atualmente a assessorar cidades que sonham trilhar o mesmo caminho de Brotas, quanto o deputado estadual João Caramez, esclareceram a um público estimado em 150 pessoas – a maioria prefeitos e vereadores dos dois estados – como se tornar um MIT. Em 3 de fevereiro deste ano, no histórico encontro dos dois governadores em Ribeirão Claro para assinar protocolo de intenções pró-Angra Doce, o deputado federal Capitão Augusto reivindicou do governador Geraldo Alckmin que olhasse com carinho para as cidades paulistas que compõem o Projeto Angra Doce na hora da concessão dos MITs. “Sabemos que o MIT depende de que cada Prefeitura monte sua proposta, apresentando toda a documentação exigida, comprovando sua vocação para o turismo de qualquer área, mas a boa vontade do governador certamente será salutar para o processo”, argumenta Capitão Augusto.

No Seminário foi anunciada a criação de uma associação Angra Doce, com sede em Ourinhos, para tratar dos interesses e fomento do projeto na região. O deputado federal Capitão Augusto indicou para presidi-la o ex-secretário de Cultura de Ourinhos no Governo Belkis, o jornalista e publicitário Fernando Cavezale. “Não conheço ninguém que esteja mais inteirado e apaixonado por esse projeto que o Cavezale, tenho certeza de que realizará um excelente trabalho à frente da associação Angra Doce”, afirmou o deputado federal da região.

Como mestre de cerimônias que coordenou o 8o Seminário Angra Doce, Fernando Cavezale informou que a associação, que deverá funcionar nos moldes de uma organização não governamental, terá em seu escopo de trabalho a organização do trade turístico regional nos dois estados, criando uma ponte entre as atividades políticas e institucionais e ações práticas de fomento ao turismo sob a chancela do projeto Angra Doce. Um dessas ações já anunciadas por Cavezale será a realização de um evento anual, provisoriamente denominado Angra Doce Festival, em princípio com sede alternada entre as cidades do Angra Doce, para mostrar a potencialidade turística da região, assim como seus atrativos naturais, sua cultura, economia, gastronomia, entre outros atributos regionais. “Ao contrário das grandes festas que hoje são reféns de shows populares com valores extremamente inflacionados e proibitivos, além de pouco representarem os valores culturais da nossa região, o Angra Doce Festival tentará se construir de dentro para fora, ou seja, a partir daquilo que somos ou queremos ser, com nossa identidade e valores”, idealiza Fernando Cavezale.


Ourinhos também tenta o MIT

No último ano do governo municipal da prefeita Belkis Gonçalves Fernandes, a Prefeitura, juntamente com o Comtur, elaborou uma proposta para inscrição de Ourinhos no programa de Municípios de Interesse Turístico do Estado, os MITs. Antes do término do mandato anterior, a comissão que analisa as propostas devolveu o projeto para que fossem realizados alguns ajustes e reapresentado. Para Ourinhos ter chance de se tornar uma das 140 cidades a receber R$ 600 mil por ano para investimento em Turismo é preciso apresentar o projeto atualizado dentro do prazo. Também é necessário que o projeto seja apresentado por um deputado estadual, o que já havia sido feito através do deputado estadual Mauro Bragato.

O Negocião solicitou uma posição da Prefeitura de Ourinhos sobre o assunto na manhã de ontem, questionando se o projeto foi atualizado e reencaminhado ao Governo do Estado. O secretário de Comunicação da prefeitura, Felipe Chamorro, retornou informando que não houve tempo suficiente para responder, solicitando prazo de 24h.

Dessa forma, assim que a resposta chegar à nossa redação publicaremos em nossa edições digitais no site e página do Facebook Negocião.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.