quinta, 23 de maio de 2024

Projeto de reestruturação é votado e aprovado na Câmara Municipal

Por 9 votos a favor e 3 contra PLC que cria mais duas secretarias já é realidade

 

Marcília Estefani

 

Enfim foi aprovado ontem, segunda-feira, 5, com 9 votos a favor e 3 contra, o Projeto de Lei Complementar 8/2021, de autoria do Prefeito Municipal, que propõe uma reestruturação administrativa, com a criação de mais duas secretarias, de Inclusão e Planejamento, e mais cargos.

Em Sessão bastante polêmica, com discursos inflamados, vereadores da base e de oposição se confrontaram expondo suas opiniões e justificando seus votos.

 

 

A Vereadora Roberta Stopa, do Mandato Coletivo Enfrente, chegou a apresentar uma Emenda Modificativa, sugerindo que a Secretaria de Inclusão fosse ampliada para uma verdadeira Inclusão, e passasse a nominar ‘Secretaria de Inclusão e Diversidade’, para que se voltasse também à população negra, feminina, LGBTQIA+. A emenda recebeu parecer desfavorável.

 

 

É uma pena isso acontecer aqui esta noite. Qual é o nosso verdadeiro compromisso com a inclusão (…) pensar na inclusão apenas só como pessoa com deficiência é um pouco limitante ou muito limitante, se estamos falando de inclusão por que não falar de diversidade, até porque a lei  fala de um conselho Municipal de Inclusão para pessoa com deficiência, mas o município já tem o Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência (Comdef), está se criando um conselho que não é necessário, porque já existe um em funcionamento, mas aí a gente faz uma proposta para de ampliação para que haja uma verdadeira inclusão e o nosso parecer é desfavorável (…) a inclusão está para além da pessoa com deficiência (…)

O vereador Anísio Feliceti justificou seu voto favorável porque “o projeto é de cunho social e beneficia a população, não vai gerar despesa e votar contra o projeto é votar contra a pessoa com deficiência”.

 

 

Felicetti disse ainda que a secretaria de planejamento dará mais dinamismo, eficiência nos projetos a serem realizados, colaborando com a economia, com planejamentos estratégicos e organizados dos recursos, vai ajudar a gerar empregos.

O vereador ressaltou que tudo tem seu custo benefício, que é preciso analisar o que é melhor para nossa cidade. “Houve uma exoneração muito grande, parte destes exonerados serão recontratados, a prefeitura necessita, a máquina precisa de pessoas com eficiência para continuar administrando, para continuar trabalhando (…) precisa de pessoas qualificadas”, técnicas.

Alexandre Zóio também se manifestou favorável baseado no seu trabalho em prol da inclusão e já vem solicitando a criação da secretaria de Inclusão há muito tempo.

 

 

Éder Mota disse que o seu ‘sim’ o deixa de consciência tranquila.

 

 

Guilherme Gonçalves defendeu até o fim sua ideologia em prol ao povo, à saúde, dizendo não ao PLC, sugerindo que o dinheiro que se poderia economizar fosse investido na saúde. O Vereador se pronunciou inclusive após a Sessão através de sua rede social “Infelizmente saímos derrotados hoje”.

 

 

Cícero de Aquino também votou contra, em sua opinião todas as secretarias já trabalham com inclusão e se o prefeito tinha essa vontade de criar a tal secretaria devia ter feito já logo que assumiu seu primeiro mandato. “Todas as secretarias são de inclusão, não é usar uma secretaria de inclusão pra passar um ‘passa moleque na justiça’, disse o vereador.

 

 

Cícero também defende a saúde, e acredita que neste momento o que importa são as vidas.

Segundo Roberta Stopa, do mandato Coletivo Enfrente, ela não é contra políticas para pessoas com deficiência, pois trabalha nesta área há anos como assistente social. “Precisa de uma secretaria de inclusão para atender melhor, então o que a gente tem hoje é ruim? A gente precisa pensar nisso (…) estamos discutindo a viabilidade, o momento do qual estamos passando e o fato desta secretaria só surgir a partir do momento que vem uma ordem judicial (…) eu espero minimamente que a pessoa que vai ser secretário ou secretária seja uma pessoa com deficiência, que viva na carne, no dia a dia dela as dificuldades da mobilidade (…) que vá fazer o debate verdadeiro da inclusão”.

Por fim, além dos vereadores Anísio Felicetti (PP), Éder Motta (MDB), Alexandre Zóio (Republicanos), Alexandre Enfermeiro (PSD), Fernando Rossini (DEM), Gil Carvalho (PL), Nilce Araújo (PSD), Luiz Donizetti Bengozi (PSD), Valter do Nascimento (PP), votaram a favor da reestruturação.

Guilherme Gonçalves (Podemos), Cícero de Aquino (Republicanos) e Roberta Stopa (PT), tiveram seus votos vencidos.

Agora o PLC deve ser sancionado pelo prefeito Lucas Pocay, e publicado no Diário Oficial do Município, o que pode acontecer ainda hoje, terça-feria, 6.

 

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.