domingo, 19 de maio de 2024

Projeto que valoriza tradições do rodeio no país é aprovado

Asssessoria de Comunicação

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou nesta terça-feira (1º) um projeto de lei do deputado federal Capitão Augusto (PR-SP) que transforma os rodeios em patrimônio cultural imaterial do Brasil. A matéria havia sido debatida em audiência pública promovida de manhã pelo colegiado.

O autor do projeto comemora a aprovação que tramitou em regime de apreciação conclusiva nas comissões da Casa. Montarias provas de laço e de rédeas, apartação, bulldog e vaquejada estão entre as práticas incluídas no PL 1767/15.

O deputado afirmou que ativistas contrários ao projeto não compareceram sequer ao debate nesta manhã. “Até mesmo se abstiveram de vir por falta de argumentos”, dispara.

Considerado o patrono dos rodeios no país, Capitão Augusto também foi o responsável pela inédita instalação da Frente Parlamentar do Rodeio na Câmara, uma associação suprapartidária, composta por mais de um terço dos parlamentares, com o objetivo de melhorar a legislação federal do segmento, tanto nas regras relativas ao atleta profissional como nas normas de promoção dos eventos.

“Foi altamente positivo o debate. Os nossos palestrantes fizeram uma exposição brilhante, trouxeram realmente argumentos jurídicos, argumentos que põem por terra qualquer tentativa dos grupos de ativistas de querer acabar ou barrar esse projeto, que inclui os rodeios, provas equestres e vaquejadas como patrimônio cultural e imaterial do Brasil”, declarou Capitão Augusto.

O parlamentar argumenta que a indústria do cavalo gera mais postos de trabalho que a automobilística e representa importante fatia econômica nacional. Para ele, tornar a manifestação um patrimônio cultural e imaterial do país será uma maneira de valorizar as tradições e ampliar a legislação em torno da atividade.

“É um passo histórico para todos que trabalham nessa área. Os peões, os organizadores de rodeios. É um dia para ficar carimbado, um dia especial”, comemora.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.