segunda, 17 de junho de 2024

REPORTAGEM ESPECIAL: Insegurança e impunidade fazem o comerciante e os moradores de Ourinhos se preocuparem

Roubos e furtos têm sido frequentes em nossa cidade

Alexandre Mansinho e Fernando Lima

Os roubos, assaltos e furtos têm preocupado a população ourinhense. Casos como o assalto acontecido no último dia 10 de maio ao Posto Machado, reforça a importância de ações da segurança pública para que sejam coibidos estes tipos de crimes.

O Posto foi assaltado à mão armada, durante o dia, e 2 homens levaram quantias de aproximadamente R$20.000,00 dos caixas. Houve tiros e um dos assaltantes se feriu, deixando para trás parte do dinheiro e a moto usada por eles no assalto.

Um homem agrediu e roubou o carro de uma idosa de 77 anos, no dia 12 de abril, na Vila Sândano. Na ocasião ele fugiu levando o carro que foi encontrado dias depois na cidade vizinha de Salto Grande.

Um outro carro foi furtado na Vila Sândano, no feriado de 1º de maio, quando um homem e uma mulher (recém saída do sistema prisional) roubaram um Chevrolet/Onix. A polícia recebeu o chamado e localizou o carro no trecho urbano da Raposo Tavares (SP-294) e prenderam os criminosos.

Noticiada nesta mesma edição, uma casa no Jardim Matilde que foi furtada duas vezes em menos de um mês, sendo que na última, o criminoso arrombou o portão e levou joias, perfumes, parafusadeira e outros itens.

Os assaltos à praça de pedágio de Jacarezinho também chamaram a atenção, foram 3 assaltos em menos de um mês, todos da mesma forma, com homens armados chegando de moto, rendendo os funcionários e levando dinheiro. Embora estes crimes não “pertençam” ao estado de São Paulo, em dois dos roubos os criminosos fugiram em direção à Ourinhos.

Estes são só alguns dos casos acontecidos este ano e a população vem cobrando ações da segurança pública e também se precavendo como pode. O Negocião foi ouvir alguns comerciantes da cidade que relataram suas preocupações em relação aos roubos e furtos.

“SENSAÇÃO DE INSEGURANÇA” – As notícias dos recentes roubos em Ourinhos têm provocado entre os comerciantes uma busca por meios eletrônicos de vigilância (câmeras, detectores de presença, iluminação especial) e até mudanças na arquitetura de algumas lojas. “Eu tinha blindex em toda a minha fachada, hoje só tem uma parte pequena para que eu possa expor os produtos, no restante eu coloquei aquele portão “de descer” que as pessoas geralmente usam aqui na região central”, disse S.T.R.S., proprietário de uma loja de roupas na Rua Paraná: “a sensação de insegurança e o medo aumentaram entre os lojistas, ainda mais sabendo que alguns desses roubos recentes foram realizados durante o dia”, completa.

“NO DIA SEGUINTE O BANDIDO JÁ ESTAVA SOLTO” — Q.C.M., proprietária de uma lanchonete nas proximidades do Largo da Matriz, afirmou à reportagem que, segundo ela, a impressão é que “só os bandidos têm direitos”: “o alarme do celular tocou, era duas horas da manhã, eu vim ver o que estava acontecendo (…) pela câmera eu vi que alguém havia entrado na lanchonete, acionei a polícia e o bandido foi preso perto da Praça Melo Peixoto (…) ele deu prejuízo, quebrou algumas coisas, destruiu vidros da fachada (…) tive dor de cabeça por ter que ir na delegacia, enfim, só transtornos (…) dois dias depois eu vi, passando pela frente da lanchonete, o bandido que tinha feito o furto, quer dizer que no dia seguinte ele já estava solto (…) dá medo, e se ele tentar algo contra a gente?”, desabafa.

“INSTALEI TUDO QUE FOI POSSÍVEL, MAS AINDA TENHO MEDO” — P.R.S., gerente de uma revendedora de botijões de gás, disse que o clima de medo o forçou a investir em detectores de presença e aumentar a iluminação no pátio, além de mais duas câmeras de segurança”. “Tá difícil, eu já fui furtado uma vez, e a dor de cabeça parece que é maior para a vítima do que para o bandido”.

A LEI BENEFICIA O CRIMINOSO? — Dr. Alex Rodrigo Torres Bernardino, advogado, explica por que há essa impressão das vítimas de que “parece que não acontece nada com o bandido”, segundo o advogado: “a lei determina que crimes de menor potencial ofensivo, como furto, não preveem prisão provisória e nem prisão temporária (…) o juiz, logo na audiência de custódia, analisa as condições em que foi feita a prisão e avalia a tipologia criminal para decidir se mantém ou não o indivíduo preso (…) quando não há agravantes, o réu responde pelo crime em liberdade”.

Ainda segundo o Dr. Alex, o erro não está na lei, mas sim na visão que os operadores têm dos casos específicos: “um indivíduo que comete sempre o mesmo crime, ainda que de menor potencial ofensivo, deveria permanecer preso”.

Indagadas sobre a segurança pública na cidade, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo e a Guarda Civil Municipal (GCM) de Ourinhos, se manifestaram por meio de nota à nossa reportagem.

NOTA DA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA: – “As polícias Civil e Militar trabalham em conjunto para combater a criminalidade em todo o município de Ourinhos. As ações integradas possibilitaram a prisão/apreensão de 358 infratores no primeiro trimestre deste ano. No total, 18 armas de fogo foram retiradas das ruas, enfraquecendo as atividades ilícitas da região. No Deinter 4, que abrange a cidade de Ourinhos, os roubos em geral apresentaram queda de 13,4% e os furtos, de 10,7% de janeiro a março em comparação com o mesmo período de 2023. A Polícia Civil investiga o caso mencionado pela reportagem (do assalto ao Posto Machado), no 3º DP do município, que prossegue com as diligências para identificar e prender os autores”.

NOTA DA GCM DE OURINHOS: – “A Guarda Civil Municipal de Ourinhos é destinada à proteção dos bens, serviços e instalações no Município, bem como a realização do patrulhamento preventivo e comunitário, na condição de órgão complementar e essencial à Segurança Pública. Patrulhamos diuturnamente nosso município.” 

DICAS PARA ROUBOS E FURTOS NO COMÉRCIO:

Não reaja;

Mantenha dinheiro e objetos de valor em local seguro;

Cuidado ao abrir e fechar o estabelecimento;

Treine seus funcionários;

No seu carro:

Planeje rotas mais seguras;

Sinal vermelho, fique distante do carro da frente;

Não deixe objetos no interior do veículo;

Tenha certeza que fechou o carro;

Estacione em locais de movimento”.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.