quinta, 22 de fevereiro de 2024

Técnica de Enfermagem da UPA é agredida por paciente

A vítima registrou boletim de ocorrência e fez um desabafo através de seu perfil no facebook

 

Marcília Estefani

 

O fato aconteceu na sexta-feira, 27, por volta das 11h30, quando a vítima estava em seu turno de trabalho e tentava colocar uma máscara no paciente, que deu entrada na unidade com familiares que informaram que ele apresentava crise de ansiedade e febre.

Patrice Graciele Cardoso, 46 anos, solteira, foi agredida fisicamente com inúmeros socos na cabeça e face, sendo que sua cabeça ficou prensada contra parede pelo paciente de 45 anos. Ela sofreu ainda lesão no olho direito e fraturou o nariz, além de vários hematomas na região craniana.

A vítima contou que não conhecia o agressor, que ele passou a escarrar nas enfermeiras, momento em que ela pegou uma máscara para colocar no rapaz, atendendo pedido da enfermeira responsável.

Ao colocar a máscara e dar as costas ao paciente, ele a pegou pelos cabelos e passou a agredi-la fisicamente, e antes de deixar o local cuspiu em sua face e a chamou de vagabunda.

Patrice postou foto e um depoimento em seu perfil do facebook, onde conta com detalhes o ocorrido, e deixa claro sua indignação e revolta. Veja na íntegra a descrição da profissional.

“É com muita tristeza e literalmente muitaaa dor que resolvi escrever esse desabafo. Hoje poderia ser mais um dia comum onde as 07:00 entrei na minha segunda jornada de mais 12 horas de trabalho, num montante de 24 hrs. Poderia ter sido simplesmente mais um dia de doação, trabalho árduo e dedicação pelo familiar de alguém ou quem sabe vc mesmo. Poderia ter sido somente mais um dia em que ficaria mais de 48hrs sem ver meus filhos para poder cuidar dos seus mas infelizmente não foi.
Hoje por volta das 11:30 hrs fui brutalmente agredida e espancada por um paciente. Paciente este que me atacou pelas costas e me acuou em uma parede da sala de emergência onde travando meus cabelos (que são ou melhor eram compridos) que mesmo estando presos em um rabo de cavalo foram arrancados do meu couro cabeludo. Não o suficiente não quantificar quantos socos levei em toda região craniana e pescoço. Ganhei de brinde um nariz quebrado, muito sangue em minha roupa, vários hematomas em minha cabeça e ferimento em meu olho direito e hematoma no mesmo. Mas quer saber oque mais doi até esse momento??? Foram as palavras desse ordinário quando escarrou na minha face e disse: “aprendeu vagabunda? é isso que vcs merecem”.
Talvez quem não convive com nossa realidade pode pensar: “nossa!! oque fizeram para ele”. Ou então “nossa mas isso não acontece”. Pois eu digo: Sim!!! acontece e muito, são inumeras as vezes em que somos destradas, ofendidas e agredidas durante nosso trabalho. Perdi a conta de quantas vezes nos humilham, xingam e quando chegam em frente ao médico são cordeiros. E sabe oque mais eu digo??? CHEGAAAA!!!
Sabe oque aconteceu depois de tudo isso??? com a chegada de homens até o local, o covarde fugiu e retirou a camisa que estava por cima para não ser reconhecido na rua, a familia do COVARDE agora em que medidas estão e serão tomadas pedem perdão pois o mesmo tem problemas . Agora pergunto: Eu não tenho? meus colegas de trabalho não tem? Sabe qual é o problema? Estão tão acostumados a falta de respeito e empatia que não se importam… Mas não vou me calar, não vou deixar pra lá. Sabe pq? Pq hj fui eu, amanhã será outro profissional… então basta!!! Ahhhh!!! só para esclarecer o meu unico contato com esse COVARDE foi colocar uma máscara nele pq o mesmo escarrava nos funcionários e pcte na sala de emergência.
RESPEITO PQ MERECEMOS!!!
JUSTIÇA PQ MERECEMOS!!!
RECONHECIMENTO PQ MERECEMOS!!!”

A vítima registrou boletim de ocorrência de lesão corporal na Central de Polícia Judiciária de Ourinhos.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.