sexta, 08 de dezembro de 2023

Usina promove ação para controlar plantas aquáticas

Da redação

Começou no domingo (24) e prossegue até o dia 7 de outubro, o rebaixamento do reservatório da hidrelétrica Salto Grande para controle de plantas aquáticas – uma ação da Rio Paranapanema Energia, concessionária da usina, que conta com a parceria da Prefeitura Municipal de Salto Grande. A redução, em cerca de 2 metros, do nível do reservatório que banha a cidade é aprovada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), tem aval do Instituto Nacional do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e ciência da Delegacia Fluvial do Ministério da Marinha.

A Rio Paranapanema Energia é uma empresa CTG no Brasil, a segunda maior geradora privada de energia do país. De acordo com o gerente de Meio Ambiente da CTG Brasil, Rogério Marchetto, esse trabalho em Salto Grande é realizado todos os anos, nesta época, como uma operação preventiva à infestação das plantas aquáticas no reservatório.

Ele destaca que a ação favorece a população local, os rancheiros, e contribui para a exploração sustentada do turismo, melhorando a navegação, pesca esportiva e banhos. “Com o controle das plantas, a tendência é ampliar o fluxo de água nos braços do reservatório, bem como aumentar o oxigênio dissolvido nos períodos noturnos, e isso favorece as populações de peixes. Do ponto de vista da operação da usina, o controle das macrófitas aquáticas reduz as chances de perda momentânea da potência das turbinas geradoras de energia”, detalha Marchetto.

A concentração excessiva de plantas aquáticas no reservatório de Salto Grande decorre de fatores comuns nesse trecho do rio Paranapanema: calor, farta luminosidade e, principalmente, a existência de nutrientes. O fenômeno não ocorre de maneira parecida em outros trechos do rio.

Como funciona a operação – A redução do nível da água expõe as plantas nas bordas do reservatório, possibilitando sua remoção pela prefeitura e a comunidade, em um mutirão de limpeza. A participação das pessoas é fundamental, pois é necessário levar as macrófitas até locais onde é feita a coleta pela prefeitura, uma vez que as plantas não devem ser devolvidas ao reservatório. Com auxílio de moradores e rancheiros é esperada, também, a retirada de lixo indevidamente despejado na represa.

Para conscientizar sobre a importância desse envolvimento local, a Rio Paranapanema Energia realiza uma campanha na cidade, anteriormente à ação. “Todos os anos a comunidade vem cooperando para que o trabalho alcance bons resultados. É uma parceria muito positiva”, ressalta Marchetto.

© 1990 - 2023 Jornal Negocião - Seu melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.